quarta-feira, 26 de junho de 2013

DIA 30 EM SÃO BRÁS DE ALPORTEL


Em junho, o Ciclo de Passeios Natureza de São Brás de Alportel ingressa na Rota da Cortiça
No mês de junho, época em que os tiradores de cortiça despem com mestria o sobreiral, o Ciclo de Passeios Natureza de São Brás de Alportel convida a descobrir passo a passo a Rota da Cortiça, no próximo domingo, dia 30. Neste mês especial que assinala o Dia do Município e o Dia Nacional da Cortiça - 1 de junho – o ciclo de passeios parte com destino à Rota da Cortiça, tendo como ponto de encontro o Centro Museológico de Alportel, pelas 09h30*. A história de São Brás de Alportel está intimamente associada ao setor corticeiro, um universo que contribuiu de forma decisiva para o desenvolvimento de São Brás e para a sua elevação a concelho. Neste âmbito, com o apoio da Associação Rota da cortiça e de uma especialista em património, o Ciclo de Passeios Natureza convida a desvendar a singularidade da história corticeira de São Brás de Alportel, com um passeio pelo sobreiral e pela atualidade da fileira da cortiça. “A Cortiça é o fio condutor de uma viagem marcada por 6 pontos de interesse: Património, Natureza, Vida Rural, Tradição, Inovação e Conhecimento que constituem diferentes polos temáticos deste itinerário a percorrer.” Para ingressar nesta viagem ao mundo da cortiça, os participantes devem inscrever-se através do Tel. 289 840 005/ 019 ou e-mail. municipe@cm-sbras.pt
 *De acordo com as condições climáticas este passeio poderá ser realizado no final do dia. Caso se verifique, esta alteração será devidamente transmitida aos participantes inscritos. 

 

Cláudia Guerreiro
Gabinete de Imagem, Documentação e Informação
Tel: 289 840 003   E-Mail: claudia.guerreiro@cm-sbras.pt
 
Câmara Municipal de São Brás de Alportel
Rua Gago Coutinho, n.º 1  8150-151 São Brás de Alportel
Tel: 289 840 000  Fax: 289 842 455

 

GALERIA DOS NOTÁVEIS FIGURÕES

O Zé Maria, essa força da natureza.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

MARCHANDO E RINDO

A LOJINHA DO ABDUL
Um sujeito engravatado entra na lojinha do Abdul, no Martim Moniz, em Lisboa, e olha com desprezo para o balcão escuro, as roupas penduradas em ganchos, as caixas de papelão, os invólucros de plástico aos montes pelo chão...
Abdul irrita-se com o desprezo do tipo e resmunga:
-Está a olhar para a loja do Abdul com cara de parvo, porquê? Com esta lojinha, Abdul tem apartamento no Cascais, tem apartamento no Algarve, tem casa no Chiado, tem quinta no campo, tem filho a estudar medicina nos Estados Unidos, tem filha estudando moda em Paris. Tudo só com lojinha.
-Bom dia, eu sou fiscal das Finanças.
-Muito prazer! Eu, Abdul, monhé mais mentiroso do Martim Moniz...

sexta-feira, 21 de junho de 2013

MONCHIQUE E A MARCHA FINAL


Com a devida vénia e os agradecimentos ao Prof. Emanuel Varela da Câmara de Monchique, transcrevemos o email que nos enviou e as quadras da Aldina Correia. O Programa Nacional de Marcha e Corrida tem também uma finalidade cultural e popular, que se expressa nas visitas que fazemos aos diversos locais do nosso querido Algarve, e a estas surpresas que temos todo o prazer em divulgar neste vosso blog. Obrigado ao Emanuel, à Aldina e os parabéns à Câmara Municipal pela iniciativa do almoço.
(Caro Emanuel, há fotos do almoço?)

Exmo. Sr. Jorge Lopes,
No passado dia 15 de junho (sábado) o grupo de Monchique realizou um almoço convívio para assinalar o final de época de mais um ano de marcha-corrida.
Neste almoço a marchante, Aldina Correia, recitou umas quadras, escritas por ela, alusivas à nossa participação nas marchas corrida, que lhe envio para o caso de achar interessante publicar no blog das marchas.


Com os melhores cumprimentos,
Emanuel Varela
Técnico Superior de Educação Física


Caminhadas

Começo assim por dizer
Com as minhas simples palavras
É dedicado a todos vós
Se referem às caminhadas  

Foram na praia e no campo
Dias de frio e calor
Nada disto tinha sentido
Sem a orientação do professor

Convivemos com outras gentes
E se fizeram amizades
Vinham novos e mais velhos
E eram de meias idades

Havia sempre bolinhos
Licores e aguardente
De regresso as nossas casas
Estava mais leve a nossa mente

Mamamaratona foi a primeira
Foi na zona Ribeirinha
Depois foi em Bensafrim
Onde mora uma amiga minha

Em novembro fomos à Fuzeta
A seguir foi em Quarteira
Em Dezembro fomos também
À cidade de Albufeira

Na Conceição de Tavira
Quando o ano terminou
Algoz e São Sebastião
No ano novo começou

A São Brás de Alportel
Foi a dez de fevereiro
Depois logo a vinte e quatro
Fomos ao sitio do Pereiro

Quelfes, Faro e Monchique
Foi no mês a seguir
Rogil, St.ª Bárbara de Nexe
Foi então já em abril

Em maio fomos a Silves
Depois fomos a Ferragudo
Temos recebido algumas T-shirts  
Eu já disse quase tudo

Vila do Bispo foi a final
Que festejamos com o piquenique
Terminamos com este almoço
Aqui na Serra de Monchique
 
Por todo este convívio
A todos quero agradecer
Desculpem qualquer coisinha
Que eu melhor não sei fazer
 
Para todos o meu abraço
Com carinho e muito amor
Peço uma grande salva de palmas
Ao nosso grupo e ao professor

(Ilustramos este post com uma imagem da marcha de Monchique).

quinta-feira, 20 de junho de 2013

GALERIA DOS NOTÁVEIS FIGURÕES

Iniciamos, hoje, a publicação de algumas fotomontagens de alguns marchantes que todos conhecem, graças à sua constante presença, simpatia e camaradagem. Nada melhor, para começar, do que o João do Carmo e o seu filhote, o Simão. O João é o responsável, como todos sabem, pela organização do Programa de Marcha e Corrida no Algarve. O João é tão porreiro que até o Obama gosta dele.

terça-feira, 18 de junho de 2013

A SOGRA



Um marido ganhou, num sorteio, 3 passagens para Jerusalém.
Ao chegar a casa feliz com tanta sorte, pede à esposa para preparar as malas e ao mesmo tempo telefona à mãe para que ela beneficiasse do terceiro bilhete. Só que a mulher exigiu levar a mãe dela e depois de uma enorme discussão e, para pôr fim à briga, ele resolve fazer a vontade à mulher e levar a sogra. 
Durante a visita a Jerusalém e aos lugares santos por onde Cristo andou, a sogra, muito emocionada, sente-se mal. Levam a velha para o hospital onde acaba por falecer. 
O marido conversando com o pessoal do hospital, e para ver o que ia fazer com a falecida, perguntou quanto custava um funeral em Jerusalém.
Disseram que, na moeda Portuguesa, seriam uns 1.000,00 €.
Perguntou também quanto custaria mandar o corpo para Portugal. Responderam que com o transporte tudo ficaria por uns 10.000,00 €.
O marido então escolheu mandar a sogra para Portugal.
O pessoal do hospital e a esposa olharam espantados para ele sem entender, e perguntaram-lhe a razão porque escolheu mandar o corpo para Portugal quando era muito mais caro.
O marido respondeu: 
-Vocês já tiveram um caso de ressurreição aqui... Prefiro não arriscar...

sexta-feira, 14 de junho de 2013

A CRISE ACTUAL BEM EXPLICADINHA


Um homem apareceu numa aldeia do interior esquecido e ofereceu aos seus habitantes 100 euros por cada burro que lhe vendessem. Uma parte da população vendeu os seus animais. Nos dias seguintes voltou e ofereceu melhores preços, 150€, depois 300€ por cada burrico, até comprar todos os burros da aldeia. Ao ver que não havia mais animais disponíveis, o homem ofereceu 500€ por cada burrico, prometendo voltar na semana seguinte para comprar todos os burros que aparecessem. No dia seguinte mandou à aldeia um cúmplice com os burros que tinha comprado, oferecendo-se para os vender a 400€ cada um. Com a ganância de os vender a 500€ na semana imediata, todos os aldeãos compraram os burros a 400€. Quem não tinha dinheiro pediu emprestado.  Como era de esperar, o primeiro comprador e o seu cúmplice desapareceram, a aldeia ficou cheia de burros e endividada. Quem tinha pedido dinheiro não pagou os empréstimos por não ter vendido os burros. Quem emprestou ficou arruinado porque não recebia e não podia continuar a emprestar. Para que os prestamistas não se arruinassem, o presidente da Junta, em vez de ajudar os aldeãos a pagar as dívidas, emprestou aos próprios prestamistas. Mas estes, não perdoaram as dívidas aos aldeãos. Deste modo, o presidente da Junta desbaratou o orçamento da freguesia, que ficou também endividada. Então pediu dinheiro a outras freguesias, mas estas recusaram-se porque jamais receberiam de volta o seu dinheiro. Resultado: Os chico-espertos do princípio do negócio ficaram de papo cheio, mas os aldeãos ficaram sem jumentos e ainda mais pobres porque continuaram a pagar juros e tiveram que entregar os burros, agora desvalorizados e que não cobriam as dívidas. Resultado: muita gente arruinada e sem burro para toda a vida. A Junta de Freguesia também arruinada.
Resultado final: Para solucionar esta preocupante situação e salvar toda a aldeia a Junta…
BAIXOU O ORDENADO A TODOS OS SEUS FUNCIONÁRIOS.

terça-feira, 11 de junho de 2013

FÉRIAS


Agora que terminou a época das marchas, este vosso blog deixa de ter assunto para se ocupar. Em anos anteriores criámos a rúbrica “Recordar é viver” onde publicávamos algumas fotografias, não exibidas, de marchas passadas. Com a criação da página de Facebook “Marchas no Algarve” em que colocámos todas as fotos que tirámos, tal rubrica deixa de fazer sentido. No entanto, sem qualquer ordem ou identificação, iniciaremos, sob o título "Por onde andámos", a publicação de algumas fotos que consideramos significativas do que foi esta época de marchas.
Entramos, agora, numa espécie de quarentena. Não nos sentiremos obrigados a colocar aqui o habitual post diário. A espaços intercalaremos as habituais anedotas, curiosidades e outras parvoíces para mantermos “a chama”. Logo que soubermos novidades do calendário de 2013/2014 aqui o mencionaremos.
Portanto, meus amigos, não estranhem a futura intermitência dos posts. A praia, as cervejolas e os pratos de caracóis serão a nossa ocupação principal, intervalados, claro com caminhadas pela areia da praia, pelo Ludo e pelas ruas de Montenegro. A manutenção do esqueleto assim o obriga.
Vão aparecendo por aqui porque as novidades podem surgir quando menos se espera.
Grande abraço e boas férias.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

MARCHA NOCTURNA DE TAVIRA



Quem diria que num domingo à noite se juntava tanta gente para marchar. Foram mais de 300 os marchantes que fizeram uma belíssima viagem pelas ruas e ruelas da histórica cidade de Tavira. A marcha das igrejas foi isso mesmo, uma passagem por muitas das 37 igrejas existentes em Tavira. Foi uma organização perfeita da Junta de Freguesia de Santiago que recebeu os marchantes de forma simpatiquíssima. com um beberete final que ajudou a retemperar forças depois dos seis quilómetros percorridos. Colaboração inestimável do Regimento de Infantaria, de um clube de ciclistas (de que não retive o nome) e de muitos funcionários da Junta.
Em suma, valeu a pena a deslocação.
Restantes fotografias AQUI.

domingo, 9 de junho de 2013

HOJE

Decorre, no dia 09 de junho, pelas 21h30, a marcha distrital noturna – circuito igrejas, com início a partir da Praça da República.
A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de Tavira em articulação com a Junta de Freguesia de Santiago, visa promover o desporto e, simultaneamente, a riqueza patrimonial da cidade, num percurso urbano de 6 Km, sinalizado com tochas.
A ação inclui um programa de animação musical à chegada, um beberete, assim com a oferta de um brinde por parte da Junta de Freguesia de Santiago.
Para mais informações deverão os interessados contactar:
Divisão de Ambiente, Desporto e Equipamentos Desportivos: 281 320 577 |
desporto@cm-tavira.pt
Junta de Freguesia de Santiago: 281 322 452.
(Do site da CM Tavira).
Deve ser muito bonito. Está decidido: vamos estar presentes.

sábado, 8 de junho de 2013

sexta-feira, 7 de junho de 2013

EM JEITO DE BALANÇO

Foram 39 as marchas realizadas ao longo da época 20012/2013. Falta a nocturna de Tavira que já não vem alterar a análise que se segue.
Em jeito de balanço final podemos concluir que houve uma melhoria nas organizações, quer no que diz respeito à logística, quer aos percursos escolhidos. As organizações tentaram mostrar o que tinham de melhor nas suas regiões e conseguiram-no. Algumas repetiram percursos já conhecidos (devido à inexistência de alternativas, quase sempre), outras optaram por novidades. Mas quer num caso, quer no outro, foi sempre muito agradável as visitas que fizemos.
As mega-marchas de Portimão (mamamaratona) e Faro continuaram a reunir milhares de participantes. As do litoral com mais participantes, as do interior um pouco menos, devido às distâncias, mas todas elas sempre bem organizadas, quase sem falhas.
Como aspecto negativo, a ausência de autocarros de muitas autarquias, uma quase sempre (Silves que só apareceu na marcha final) outras que reduziram drasticamente a sua presença (Loulé, Albufeira, Portimão, Tavira, Vila Real de Sto António, Lagoa, Lagos, S. Brás de Alportel, Vila do Bispo), outras com bastantes presenças apesar das distâncias (Alcoutim, Monchique) e as campeãs ( Faro e Olhão com poucas falhas).
As marchas no Algarve começaram há 25 anos, primeiro com alguns carolas, depois, sempre em crescendo até atingirem a dimensão de agora. Além dos benefícios da marcha para os participantes do programa, há outro benefício, este um pouco escondido mas não de menor importância: o  conhecimento já arreigado nas pessoas dos benefícios de andar a pé assistindo-se, por esse Algarve, em todas as localidades, quer nas cidades, quer nas aldeias a cada vez maior número de pessoas a caminhar individualmente ou em grupos. Não temos dúvidas em afirmar que os nossos marchantes transportaram para as suas terras o saudável hábito das caminhadas e, o que dantes era considerado, por alguns, como uma actividade de maluquinhos, hoje é considerado um benefício para a saúde.
Façamos votos pela continuidade deste Programa. Sabemos do interesse do Prof. Paulo Colaço, responsável nacional do programa, bem como do Prof. João do Carmo responsável regional, nessa continuidade. Assim não lhes cortem as pernas, com a justificação de alguma pseudo contenção de custos.
A nossa caixa de comentários está, como sempre, ao vosso dispor para as vossas opiniões sobre esta época de marchas.
Para quem for a Tavira, até domingo, para quem não for, até Setembro.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

MARCHANDO E RINDO


Numa pequena aldeia do interior de Portugal, uma mulher entra na farmácia e pede ao farmacêutico:
-Por favor, quero comprar arsénico.
-Mas… eu não posso vender arsénico assim. Para que quer a senhora o arsénico?
-Para matar o meu marido.
-Mas…essa justificação ainda piorou. Agora é que eu não lhe posso vender, mesmo.
A mulher abre a mala de mão e tira uma fotografia do marido na cama com a mulher do farmacêutico.
-Ah! Bom…COM RECEITA É OUTRA COISA.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

PARA COMPLETAR O RAMALHETE

Os artistas depois de um concerto, e se a assistência gostou da actuação, costumam satisfazer os pedidos e cantar uma ou mais canções. No nosso calendário de marchas também isso acontece. O "bis" será em Tavira, no próximo domingo, às 21H30. Servirá para o encerramento definitivo do calendário da época 2012/2013. Esta marcha não é surpresa, visto que, em anos anteriores também se realizou.
Concentração no Jardim do Coreto. Organização da Junta de Freguesia de Sta Maria.
Vamos tentar estar presentes.

terça-feira, 4 de junho de 2013

A MARCHA FINAL NA BLOGOSFERA


A marcha final, a análise, o desabafo do meu amigo Zé Correia no seu, muito interessante, blog http://albufeirasempre.blogs.sapo.pt 
Ver AQUI.
O Zé Correia é um albufeirense da velha guarda (já não há muitos) defensor acérrimo da sua cidade, sempre atento e crítico a tudo o que passa no seu concelho. Vejam o blog http://passeiodostristes.blogs.sapo.pt/ também de sua autoria.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

VILA DO BISPO - ALGUNS PROTAGONISTAS

Algumas caras conhecidas retiradas do conjunto de fotografias de Vila do Bispo, sem qualquer critério especial.

domingo, 2 de junho de 2013

VILA DO BISPO - MARCHA FINAL






Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
‘inda guardo renitente, um velho cravo para mim
(Chico Buarque)
Pois foi bonita a festa. Foi um misto de alegria e tristeza para os 1.100 marchantes presentes. Alegria pela satisfação reinante entre todos, tristeza pelo recomeço ainda tão longínquo. Foram  36 domingos, 41 marchas de sã convivência. Como aguentar até Setembro? Como preencher o tempo longe desta formidável “malta”, deste calor humano que, domingo após domingo, nos ajuda a recarregar as baterias que nos permitem enfrentar a semana mais fortes. Aguenta coração. Em Setembro há mais. Sonhemos com isso. Imaginemos o reencontro e façamos disso o bálsamo que nos permitirá ultrapassar este interregno com determinação.
Hoje foi um percurso interessante, com passagem pelo miradouro, com uma vista para o mar muito bela, num dia muito agradável para a prática da marcha. Uma organização muito simpática, muito esforçada, merecendo elogios e agradecimentos de todos. Um aquecimento surpreendente do Saul, um autentico bailarino que a todos contagiou. Um esforço enorme despendido na feitura das bifanas. A vontade de entregar as sandes quentes provocou uma enorme fila de espera. Mas o pessoal compreendeu e apreciou o esforço. Também soubemos que as meninas da Sociedade Recreativa do Barão de S. Miguel passaram a noite a fabricar as centenas de pães com chouriço com que nos deliciámos. Os nossos agradecimentos e os votos de um bom sono de recuperação para esta noite.
Obrigado Vila do Bispo que nos recebeste tão bem, apesar da crise que obriga a contenção. 
Tivemos também a presença do Coordenador Nacional do Programa de Marcha Corrida, o Prof. Paulo Colaço, que à semelhança da marcha de abertura veio dar o apoio a todos os marchantes. Obrigado Professor, pelas palavras que proferiu, pela caminhada que fez com os marchantes e pela vontade que sabemos ter na continuidade deste programa.
Hoje a marcha esteve bem compostinha. Vi por lá autocarros de Aljezur, Tavira, Lagos (2), Silves (será um bom prenúncio para o ano?), Monchique, Loulé (2), Portimão, S.Brás de Alportel, Olhão, Universidade do Algarve e Junta de Freguesia de Porches.
Restantes fotografias AQUI.

sábado, 1 de junho de 2013