quinta-feira, 16 de agosto de 2018

PEGADAS À 4ª FEIRA/GRUPO DE CAMINHADAS SNRA DA ROCHA - 15-08-2018

O Pegadas à 4ª Feira, seguindo a interessante postura de sã convivência com outros grupos e aproveitando uma inspiração feliz do Osvaldo Serro e do António Santos, resolveu aproveitar o feriado e ir até à Senhora da Rocha "misturar-se" com o Grupo de Caminhadas da Senhora Rocha, Alporchinos e Armação de Pera. Que bela iniciativa esta junção pontual entre dois grupos que primam pela camaradagem e amizade entre os seus elementos. Foi um percurso paradisíaco, de dificuldade média pelas cercanias da Senhora da Rocha, com paisagens deslumbrantes bem visíveis hoje já que em dia feriado foi possível iniciar a marcha às 19H00 e terminá-la ainda com um reflexo solar que ainda impedia a escuridão total e possibilitando uma visão dos arredores, das praias e do mar transformando esta marcha num percurso turístico sem guia e sem custos. E no final? Uau, aquele final, junto à Ermida da Snra da Rocha promontório de visita obrigatória, em que todos mandaram "às malvas" os benefícios adquiridos na marcha e se refastelaram atrás das minis, dos bolos, dos camarões, do frango frito, da fruta, do vinho,etc,etc. Tudo numa sã convivência como se todos se conhecessem há anos. Os "parabéns a você" cantados ao casal Serro pelos 24 anos em se aturam, a Rosinha e o Osvaldo, foram inteiramente merecidos. Estes dois já são um ex-libris das marchas pela simpatia e pela forma como se voluntariam na ajuda às organizações. Foi lindo. 
As fotos estão em duas doses no local habitual.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - CERRO DE SÃO MIGUEL - 17-08-2018

Evento: 263º
Data: 17.08.2018
Local: Cerro São Miguel, Moncarapacho
Grau dificuldade: DIFÍCIL
Ponto de encontro: No parque de estacionamento entre o cemitério e o campo de futebol de Moncarapacho, local da Feira. Ao entrar em Moncarapacho pelo lado poente, logo a seguir à bomba de gasolina, virar na primeira à direita. Ver mapa
Latitude: 37° 4'54.44"N
Longitude: 7°47'19.98"W
Luz: é FUNDAMENTAL (leia-se: obrigatório)
Colete refletor: é FUNDAMENTAL (leia-se: obrigatório)
Trajecto no GPSies:
12km
16km
(a publicar brevemente)
Vai haver 2 percursos, de 12km e 16km, com grau de dificuldade DIFÍCIL em termos de acumulado de subida.
Os percursos vão estar sinalizados com sticks reflectores ou placas. Desde que se preste atenção nesses locais, será fácil seguir o percurso correcto. Mas é FUNDAMENTAL levar luz, já que esta sinalização só é visível de noite se tiver uma luz a incidir para poder ser reflectida.
Aquilo que se solicita é que se formem vários grupos, em função dos andamentos, mas que TODOS corram ou caminhem sempre acompanhados. ISTO É FUNDAMENTAL!
TODOS DEVEM LEVAR UM MEIO DE ILUMINAÇÃO (leia-se "obrigatório")
Praticamente todo o percurso se desenrola em zona não iluminada, por isso é FUNDAMENTAL que cada participante leve lanterna ou foco na cabeça.
CARROS E COLETES REFLECTORES:
Os percursos passam em algumas zonas de estrada sem berma, mas com pouco ou nenhum trânsito. Mesmo assim é FUNDAMENTAL seguir no sentido contrário do trânsito e levar um colete reflector. Pensem na vossa segurança;
Este é um evento aberto a todos os que queiram fazer exercício físico num local e hora onde normalmente não se atreveriam a ir sozinhos. Por isso, nada de receios em enfrentar esta distância;
Quem quiser é livre de trazer algo comestível ou bebível para partilhar e encerrar o evento em grande convívio;
Todas as sugestões são bem-vindas. Participem, divulguem e desfrutem destes eventos.
(Luís Santos)

sábado, 11 de agosto de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - 5º ANIVERSÁRIO - PRAIA DO BARRIL - 10-08-2018



Foi hoje. As palavras do Luís Santos retratam a história e não acrescentamos mais nada:
"É HOJE! 5º Aniversário

Tudo começou a 9 de Agosto de 2013, noite de Lua Cheia e maré bem vazia por volta das 21:00. 
Tudo começou com "Então e se fossemos correr à noite ali no Barril?"
Criou-se um evento no Facebook, alguns clicaram "Vou" e, na data anunciada, lá fomos de carro a pensar pelo caminho "Se calhar não aparece ninguém".
Mas apareceram. Dez. Foram 10 que decidiram ir correr à noite. Saíram para correr ali de Pedras Del Rey e foram até ao molhe na ilha de Tavira. Aí pararam para admiram o céu e cheirar a maresia. Voltaram aos carros com ar satisfeito e, de imediato, colocaram a seguinte questão: "Então e se repetíssemos na próxima 6ª Feira".
E assim foi, a repetir todas as 6ª Feiras até hoje. Foram 261 semanas de eventos (menos dois que tiveram de ser cancelados por causa do tempo). 
Dos 10 chegámos aos 20. Depois aos 50. Até ao número 100, que parecia impossível. E continuámos a subir até aos 200, 300, 400, 1000 e até aos 2500.
No total, já foram muitos milhares de visitantes nestes eventos a correr ou a marchar.
Há caras que nunca mais vimos. Há caras que se vão mantendo. Há caras sempre novas.
Em 2015 tivemos o máximo de adesão. Depois, foi sempre a descer. Agora, os números estão a estabilizar e é provável que assim se mantenham para 2019.
Num distrito, de Barlavento a Sotavento, onde só um pequeno grupo se atrevia a correr à noite, os Quarteira Night Runners, eis que se dá uma reviravolta positiva nos hábitos de vida de muitos algarvios.
Aquele "maluquinho" que corria sozinho à noite passou a estar acompanhado por muitos. E um grupo informal deu lugar a muitos outros, quase 20, a fazer eventos de corrida/marcha por todo o Algarve.
Os que pouco ou nada corriam ou marchavam, ganharam o hábito de fazer isso de forma regular. Outros quiseram ir mais longe e lançaram-se em provas competitivas.
Criaram-se muitas e boas amizades. 
Muitos descobriram um Algarve que desconheciam. Paisagens lindas, cheiros e sensações que vão ficar para sempre na memória dos que têm participado nestes eventos.
Hoje comemoramos 5 anos.
O futuro é sempre uma incógnita. Mas se continuarmos a ver pessoas a correr ou marchar de forma regular, seja a que hora for, seja onde for, então, podemos dizer, com orgulho, que contribuímos para fazer algo positivo neste Algarve, mesmo que isso, na maior parte das vezes, passe despercebido ou seja ignorado de forma intencional por muitos.
Uma coisa é certa. Começámos com 10 e nunca imaginámos que isto pudesse ter uma dimensão tão grande. 
Tem sido um prazer partilhar com todos esta "Fantástica Aventura Desportiva Nocturna"

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

PEGADAS À 4ª FEIRA - 08-08-2018

Ter o privilégio de sair de casa e cair nos braços, ou no seio (não nos seios, esses são para quem os conquistou) do grupo mais representativo de Faro, não é para qualquer um. O Pegadas concentrou-se hoje no local onde um dia, talvez no sec. XXII, nascerá um acesso ao aeroporto, libertando o actual do peso de muitos automóveis e tornando a ida mais fácil, mais rápida e mais bela. 
Hoje foi assim, a montanha veio a Maomé. O miserável escriba saiu de casa e fotografou miseravelmente o grupo reduzindo-o pela pouca inspiração a aquilo que ele não é, um simples grupo. O Pegadas não é o que parece pelas fotos. O Pegadas é já um estado de alma, uma doutrina para substituir as doutrinas velhas e relhas de 2.000 anos, esta mais actual, mais dinamizadora, sem preces desactualizadas. O Pegadas não é o Antigo Testamento com a sua câmara de horrores nem o mais civilizado Novo Testamento. O Pegadas é o Modernaço Testamento sem apelo a um Deus maior mas a uma qualquer idolatria cuja veneração obedece à doutrinação do exercício físico e da sã convivência entre as gentes. Abençoada religião. Hoje mesmo sem a já saudosa presença do, mas com a sua benção, Sto António, o Santos (nome bem sugestivo), a coisa fez-se e bem. Um dia, talvez na próxima semana, ele regressará purificado e de aureola bem brilhante oficializando a nova doutrina.  
O percurso não foi pelos campos celestiais, mas pelos terrenos onde nascerá o tal acesso no sec. XXII e entrada profunda no Eden vizinho ao aeroporto sempre acompanhados pelos ávidos mosquitos, esses ateus, sempre prontos na demanda das carnes apetitosas das nossas deusas e nos músculos dos nossos Apolos apesar de hoje essa praga, pela acção de uma benfazeja aragem, andar um pouco arredia.
Uma referência, muitíssimo especial, ao bom coração de alguns Pegadas. Apesar do tardio pedido (cerca das 17H00) para uma recolha de alimentos patrocinada pelos funcionários do IPDJ, em benefício das vitimas do terror de Monchique, conseguiu-se, mesmo assim, uma razoável quantidade. Sabemos que muito mais se conseguiria se mais cedo o aviso fosse feito. A vossa dádiva já está na posse do IPDJ que estará durante toda a manhã de amanhã, quinta-feira, ainda em condições de recolher alimentos.
As fotos de hoje estão AQUI e AQUI.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - 5º ANIVERSÁRIO - PRAIA DO BARRIL - 10-08-2018

Evento: 262º
Data: 10.08.2018
Local: Praia do Barril, Tavira
Grau dificuldade: FÁCIL
Ponto de encontro: Na praia do Barril, do lado direito como quem olha para o mar
Estacionamento: Em Pedras D'el Rey, onde conseguirem estacionar. O antigo parque de estacionamento grátis é agora a pagar
Latitude: 37° 5'6.99"N
Longitude: 7°39'47.43"W
Luz: é FUNDAMENTAL!!!!!!! (leia-se: obrigatório)
Colete refletor: é DISPENSÁVEL
Trajecto no GPSies:
- 10km, no máximo, com cerca de 0m de acumulado de subida
Da praia do Barril ao esporão na ilha de Tavira, são 5km. Quem quiser fazer menos de 10km no total, basta que inverta a marcha antes de chegar ao tal esporão. Podem p.e. fazer por tempo: 30min ida, 30min regresso
Vai haver 1 percurso com grau de dificuldade FÁCIL em termos de acumulado de subida.
O percurso NÃO vai estar sinalizado.
TODOS DEVEM LEVAR UM MEIO DE ILUMINAÇÃO (leia-se "obrigatório")
Praticamente todo o percurso se desenrola em zona não iluminada, por isso é FUNDAMENTAL que cada participante leve lanterna ou foco na cabeça.
CARROS E COLETES REFLECTORES:
Os percursos NÃO PASSAM em zonas de estrada onde pode haver trânsito, pelo que é DISPENSÁVEL levar um colete reflector;
Ninguém irá caminhar ou correr sozinho. É garantia que ficará sempre alguém a acompanhar aquele(s) que forem mais lento(s). Repetimos, ninguém irá correr sozinho;
Este é um evento aberto a todos os que queiram fazer exercício físico num local e hora onde normalmente não se atreveriam a ir sozinhos. Por isso, nada de receios em enfrentar esta distância. Repito, ninguém irá correr sozinho;
Quem quiser é livre de trazer algo comestível ou bebível para partilhar e encerrar o evento em grande convívio;
Todas as sugestões são bem-vindas. Participem, divulguem e desfrutem destes eventos.
(Luís Santos)

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

PEGADAS À 4ª FEIRA - 01-08-2018

As férias do líder, apesar de bem acolitado pelo secretário Carlos Pereira e o aumento da temperatura, finalmente estival, deu a esta corrida um cheirinho a "silly season", sem as tias de Cascais e sem o pseudo jetset miserável e cheirando a naftalina. Mas aqui pelo Pegadas não há imitações de "socialites", há sim gente que não aparece só no verão mas também em todas as 4ªs feiras do ano, faça chuva, frio ou sol. Quando a época dos silly terminar o Pegadas ainda por cá anda. 
Hoje não fomos, como nunca vamos, às discotecas (alguns foram ver o Benfica) onde se pavoneiam algumas figurinhas menores, não tirámos selfies com os colunáveis, não invejámos os meninos e meninas ridiculamente vestidos. Hoje vestimos como sempre os nossos trajes habituais com sapatilhas adaptadas à corrida e marcha e estávamos lindos. Suámos e respirámos o ar puro dos arredores de Faro, fugimos aos ajuntamentos e ao ar viciado das discotecas e metemos nos nossos corpinhos, não os fumos do tabaco mas o oxigénio limpo do Biogal e do Passeio Ribeirinho. Quem é o Jet Set, quem é? 
António Santos, "vós que lá do vosso império", na ponta do Algarve, na vizinhança espanhola, podeis estar descansado, a noite correu bem apesar da ausência. Fostes lembrado, claro, mas reconhecido, por todos, o merecimento do descanso depois de tanta actividade e de tanta imaginação. Um conselho aqui do paupérrimo escriba: fugi António da silly season e do pseudo Jet Set. Nós é que somos o verdadeiro Jet Set. 
As fotos deveriam estar no local habitual mas os problemas continuam. Terá havido influência nefasta do Jet Set?

segunda-feira, 30 de julho de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - QUERENÇA - 03-08-2018

Evento: 261º
Data: 03.08.2018
Local: Querença
Grau dificuldade: MÉDIO
Ponto de encontro: No largo da Igreja
Estacionamento: O mais próximo possível da Casa do Povo (a 150m do Largo da Igreja)
Latitude: 37°11'56.41"N
Longitude: 7°59'14.44"W
Luz: é FUNDAMENTAL!!!!!!! (leia-se: obrigatório)
Colete refletor: é FUNDAMENTAL
Vão haver 1 percurso de 12km com grau de dificuldade MÉDIO em termos de acumulado de subida.
Os percursos vão estar sinalizados nos cruzamentos com fitas, placas, marcações no chão e coisas a brilhar. Desde que se preste atenção nesses locais, será fácil seguir o percurso correcto.
TODOS DEVEM LEVAR UM MEIO DE ILUMINAÇÃO (leia-se "obrigatório")
Praticamente todo o percurso se desenrola em zona não iluminada, por isso é FUNDAMENTAL que cada participante leve lanterna ou foco na cabeça.
CARROS E COLETES REFLECTORES:
Ambos os percursos passam ao longo de uma estrada que se prevê que tenha pouco ou nenhum trânsito. De qualquer forma, garantir a segurança nunca é demais. GARANTAM QUE SÃO VISTOS!
Ninguém irá caminhar ou correr sozinho. É garantia que ficará sempre alguém a acompanhar aquele(s) que forem mais lento(s). Repetimos, ninguém irá correr sozinho;
Este é um evento aberto a todos os que queiram fazer exercício físico num local e hora onde normalmente não se atreveriam a ir sozinhos. Por isso, nada de receios em enfrentar esta distância. Repito, ninguém irá correr sozinho;
Quem quiser é livre de trazer algo comestível ou bebível para partilhar e encerrar o evento em grande convívio;
Todas as sugestões são bem-vindas. Participem, divulguem e desfrutem destes eventos.
(Luís Santos)

quinta-feira, 26 de julho de 2018

PEGADAS À 4ª FEIRA - ESTÁDIO ALGARVE - 25-07-2018


E o Pegadas, com o Portugal desconhecido sempre na mira, lá vai descobrindo novos caminhos, novos locais e arrastando sempre novas gentes. Já corremos entre as faldas do Grand Canyon, visitámos a torre de Pisa, pisámos os areais do Atlântico, embrenhámo-nos na mata das Gambelas, espreitámos o inferno no desfiladeiro do demo, andámos pelas terras do "arrabá" e agora, mais modestos, descobrimos um talefe, para todos desconhecido, ali para os lados do elefante branco, o Estádio Algarve. Sempre a surpreender. 
A palavra talefe é a palavra com que o povo designa o marco geodésico, mais fina, mais intelectual, tal como a designação "finérrima" para rissol: "Camarão envolvido em Molho Béchamel, com pequenos apontamentos de Salsa Frisada Australiana, em cama de Massa Fina, banhada em Pão Ralado crocante e confitada em Óleo Vegetal".
O nome modifica a coisa e torna-a mais modernaça. Visitámos hoje um marco geodésico, não um talefe ou um pinoco (esta designação é um pouco erótica talvez devido à sua forma cilíndrica ou ao sucedâneo que a palavra sugere). Talefe é para os fracos, para o povo, não para a burguesia contida e unida dos Pegadas à 4ª feira. O Pegadas não come rissois, não visita talefes, não percorre matas, marcha e corre pelos lugares mais finos da Europa, pela floresta , pelos pinocos, e come comida gourmet. Gente fina esta. Merecem.
Foi isto, o António homem muito viajado, descobridor nato, nas suas deambulações, lá descobriu aquele símbolo fálico no meio de nenhures e o Pegadas divertiu-se em grande e à algarvia e os comentários que ouvimos foram elogiosos, o melhor percurso até hoje, espectacular, lindo. E até os aplausos que de tempos a tempos se ouviam do lado do Estádio, onde decorria um jogo de futebol, pareciam dirigir-se ao pessoal. Uma certeza nós temos, o nosso espectáculo foi, seguramente melhor do que o dos 22 galfarros, com as pernas nuas, arcadas e cabeludas, dando pontapés numa bola que não tinha feito mal a ninguém.
As habituais fotos aparecerão no local habitual quando o Facebook o quiser. Fiquem com duas amostras da saga do talefe.

segunda-feira, 23 de julho de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - MARCHA/CORRIDA SOLIDÁRIA RIAS - 27-07-2018

Evento: 260º
Data: 27.07.2018
Local: Olhão
Grau dificuldade: FÁCIL
Ponto de encontro: No estacionamento do supermercado Mini Preço, na Zona Industrial (ver foto)
Latitude: 37°1'44.15"N
Longitude: 7°49'46.16"W
Luz: é FUNDAMENTAL (leia-se: obrigatório)
Colete refletor: é FUNDAMENTAL
Os percursos VÃO ESTAR sinalizados em algumas zonas. Nos cruzamentos principais iremos contar com a preciosa colaboração de diversos voluntários do BTT Leões de Olhão.
TODOS DEVEM LEVAR UM MEIO DE ILUMINAÇÃO (leia-se "obrigatório")
Grande parte do percurso desenrola-se em zona não iluminada, por isso é FUNDAMENTAL que cada participante leve lanterna ou foco na cabeça.
CARROS E COLETES REFLECTORES:
O percurso passa em diversas zonas citadinas, com algum trânsito. É por isso FUNDAMENTAL seguir no sentido contrário do trânsito e levar um colete reflector. Pensem na vossa segurança;
Ninguém irá caminhar ou correr sozinho. É garantia que ficará sempre alguém a acompanhar aquele(s) que forem mais lento(s). Repetimos, ninguém irá correr sozinho;
Este é um evento aberto a todos os que queiram fazer exercício físico num local e hora onde normalmente não se atreveriam a ir sozinhos. Por isso, nada de receios em enfrentar esta distância. Repito, ninguém irá correr sozinho;
Quem quiser é livre de trazer algo comestível ou bebível para partilhar e encerrar o evento em grande convívio;
Todas as sugestões são bem-vindas. Participem, divulguem e desfrutem destes eventos.
(Luís Santos)

sábado, 21 de julho de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - VALE SILVES - 20-07-2018

Depois de um período em que desfrutámos os eventos do Bolis Walk & Run, foi muito bom voltar a reviver aqueles percursos e aqueles organizadores. Viemos de coração cheio, renascemos mais uns anos com o carinho da Sónia, das Célias, da Anabela, do Edgar, do Helder (que bom vê-lo depois de tanto tempo em convalescença) do puto Tiago e de tantos outros que fizeram as delícias daqueles tempos áureos em que o Bolis ainda se permitia, graças ao enorme esforço de alguns, organizar às quintas feiras autênticos festivais físicos e de são convívio. Ontem o Corridas à 6ª Feira entregou naquelas mãos a escolha do percurso e a colocação das marcações. Foram cerca de 20 os voluntários envolvidos e deles saiu a marcha corrida que muitos elogiaram e desfrutaram. No final não "havia outra", havia sim no bar do Centro Comunitário bebidas e bifanas à nossa espera. Obrigado Bolis. 
Fotos na página habitual do Facebook.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

FARO, PEGADAS À 4ª FEIRA - 18-07-2018

É a primeira vez, e aqui estão os Pegadas a inovar, que uma marcha/corrida tem obstáculos, ressalvando os obstáculos naturais que a orografia nos apresenta. Conhecemos os 110 metros barreiras e os 3.000 metros obstáculos, mas uma marcha/corrida com obstáculos constituídos por pneus, nunca tínhamos visto. Pneus, conhecemos os dos automóveis e os das barriguinhas bem constituídas e bem nutridas das Sagres e Super Bock. Mas cada pneu no seu lugar e aproveitar um cemitério de pneus, esses os dos automóveis, abandonados sabe-se lá por quem em local onde tal não deveria acontecer, é que foi muito estranho. Mas fazer passar por baixo dos pneus os outros pneus, esses os da Super Bock, é que foi uma originalidade bem esgalhada e bem conseguida. Tudo vale neste grupo e até este simbolismo pneumático é válido. Querem diminuir o tamanho dos pneus venham ao Pegadas. O Pegadas é inimigo do pneu. Com Pegadas os pneus ficam em casa. Levem os pneus até ao Pegadas e os pneus desaparecem. Pneus só os Michelin. Na barriga não, só no chão. Passe por baixo do pneu arrastando o pneu no chão. Foi hilariante. Houve técnicas de todas as espécies. Era vê-los e vê-las de quatro a passar os túneis emborrachados, de costas, rastejando, de lado, por cima e ao lado. O que garantimos e nós estivemos lá e vimos, é que os 180 que estiveram presentes se divertiram. E nós, que estávamos a fotografar, podemos garantir que foi um dos eventos mais engraçados que nos foi dado presenciar. Um especial agradecimento a quem idealizou a aventura de hoje, o António Santos. O homem, quando menos se espera, tira um coelho da cartola e sai disto. Para a semana há mais. Parece que vamos visitar um talefe ali para os lados do Estádio Algarve. A concentração é ao pé da porta principal do referido estádio.
As fotos de hoje estão AQUI.    

terça-feira, 17 de julho de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - CENTRO SOCIAL E COMUNITÁRIO DE VALE SILVES - 20-07-2018

Evento: 259º
Data: 20.07.2018
Local: Centro Social e Comunitário de Vale Silves, Boliqueime
Grau dificuldade: MÉDIO
Ponto de encontro: Centro Social e Comunitário de Vale Silves
Latitude: 37° 9'30.73"N
Longitude: 8° 8'34.31"W
Luz: é FUNDAMENTAL (leia-se: obrigatório)
Colete refletor: é FUNDAMENTAL (leia-se: obrigatório)
Como chegar ao Centro Social e Comunitário
Quem sai no nó da via do infante em Boliqueime segue em direcção a Loulé. Vira para as bombas da BP, segue por essa estrada mais ou menos 1km ate chegar ao largo de Alfontes. Aí vira à esquerda, em direção a Tenoca. O centro comunitario de Vale Silves fica a 800m à direita.
Quem vem pela 125, ou segue as placas até ao nó da Via do Infante e segue as indicações anteriores, ou, na rotunda da fonte de Boliqueime segue a estrada para Boliqueime e vira no primeiro cruzamento à direita em direção a Tenoca. No largo da Tenoca vira à direita e Vale Silves fica mais ou menos 500 metros à esquerda.
Vai haver 2 percursos, de 8km e 12km, com grau de dificuldade MÉDIO em termos de acumulado de subida.
Os percursos vão estar sinalizados nos cruzamentos com sticks reflectores ou placas. Desde que se preste atenção nesses locais, será fácil seguir o percurso correcto.
Aquilo que se solicita é que se formem vários grupos, em função dos andamentos, mas que TODOS corram (ou andem onde o declive o exija) sempre acompanhados. ISTO É FUNDAMENTAL!
TODOS DEVEM LEVAR UM MEIO DE ILUMINAÇÃO (leia-se "obrigatório")
Praticamente todo o percurso se desenrola em zona não iluminada, por isso é FUNDAMENTAL que cada participante leve lanterna ou foco na cabeça.
CARROS E COLETES REFLECTORES:
Os percursos passam em algumas zonas de estrada sem berma, onde pode haver trânsito. É FUNDAMENTAL seguir no sentido contrário do trânsito e levar um colete reflector. Pensem na vossa segurança;
Este é um evento aberto a todos os que queiram fazer exercício físico num local e hora onde normalmente não se atreveriam a ir sozinhos. Por isso, nada de receios em enfrentar esta distância;
Quem quiser é livre de trazer algo comestível ou bebível para partilhar e encerrar o evento em grande convívio;
Todas as sugestões são bem-vindas. Participem, divulguem e desfrutem destes eventos.
(Luís Santos)

quinta-feira, 12 de julho de 2018

ODE A UMA MARCHANTE

Recordamos uma das crónicas publicadas no antigo jornal "O Algarve" e dedicadas ao Calendário Regional do Programa Nacional de Marcha/Corrida. Pretendia-se, com o exemplo desta marchante, incentivar a prática do exercício físico:
Ode a uma marchante
A Luísa é uma mulher escorreita, 60 anos, activa, geniquenta. Acorda de madrugada, noite cerrada. Luísa dorme sempre pouco, a cama é madrasta e as tarefas diárias não dão tréguas. Inicia ali o dia, banqueteando-se com um naco de pão duro, da última amassadura, com banha, que lhe dá energia para as primeiras tarefas do dia. Trata do porco, dá milho às galinhas, lava o resto da loiça acumulada da noite anterior e que o cansaço não a autorizou a terminar. Passa a vassoura no pátio, o espanador nos berloques do aparador. Apanha a roupa que ficou a secar debaixo do alpendre, não fosse o diabo de alguma bátega de água estragar-lhe a barrela do dia anterior. Entala três rodelas de chouriço entre duas fatias do pão caseiro que semanalmente fabrica. Será o almoço desse dia, empurrado pela água, que certamente não faltará. A laranja, se a houver, completará a opípara refeição.
São agora sete horas, o sol acorda, espreita Luísa, ao longe, no horizonte. Muitas madrugadas ensinaram-lhe a ler a hora solar. Sabe que o autocarro parte quando o sol aparecer por detrás da copa do chaparro, ao fundo, no quintal. Salpica a cara com água fria, mostra a água aos sovacos, passa o pente nos hirsutos cabelos, calça as sapatilhas adquiridas nos saldos, e que já conheceram muitos quilómetros, veste um fato de treino azul, desmaiado, de 5 anos. Olha-se ao espelho. O rosto, finalmente, resplandece. O marido, mandrião, dorme o sono dos preguiçosos, que não dos justos. Luísa abana a cabeça, triste, e abala, só, de encontro ao destino habitual dos domingos. Hoje será em Estombar, nas Fontes. A alegria transbordante do autocarro é o prenúncio de uma marcha onde a amizade, o entusiasmo, as gargalhadas, as anedotas, apagam a vil tristeza de uma semana acabada, e trazem forças novas para a labuta, sempre igual, da semana que amanhã começa. E o madraço … ficou em casa.
(Jorge Lopes)

quarta-feira, 11 de julho de 2018

FARO, PEGADAS À 4ª FEIRA - 11-07-2018

Caminhada/corrida para todos e todas. Foi um intervalo para relançamento do que aí vem. Corrida fácil com o cheirinho campestre da Malvada e as suas bolinhas negras ornamentais que atapetam o caminho, logo seguida pelo ar puro, para limpeza dos pulmões, que sopra no cimo da ponte pedonal, passagem pelo Clube Pontense em direcção ao centro de Montenegro, a freguesia mais importante do país, com a sua universidade, a sua ilha, o aeroporto, hospital, escolas, parte da Ria Formosa e a realização eminente da maior concentração de motas da Europa, este ano mais reduzida pela ausência de alguns que andam nas bocas do mundo e se concentram mais para o lado de Estoi. Enfim, o Pegadas é indiferente a isto tudo, marcha e corre independente dos factos estranhos que por aqui suscitam as atenções do mundo, ou não fosse o Algarve o destino turístico mais importante da Europa. O Pegadas é isto mesmo, um grupo de gente risonha que só quer divertir-se e praticar exercício físico. O resto é paisagem digna da nossa atenção, como pessoas bem informadas e bem formadas que somos, mas não indiferentes à actualidade.
E para a semana vamos praticar, não os 110m barreiras, mas os 10km obstáculos. Já estamos a salivar. 
As fotos de hoje estão AQUI.

sábado, 7 de julho de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA/LET´S GO RUN - 5ª CORRIDA BRILHANTE - 13-07-2018

Evento: 258º
Data: 13.07.2018
Local: Praia da Rocha Baixinha (Vilamoura), Falésia
Grau dificuldade: FÁCIL
Ponto de encontro: Junto à discoteca NO SOLO Água (na praia de Vilamoura).  
Latitude: 37° 4'32.44"N
Longitude: 8° 7'52.80"W
Luz: é FUNDAMENTAL (leia-se: obrigatório)
Colete refletor: é DISPENSÁVEL
Piso: O percurso tem cerca de 50% areia e 50% terra batida
Vai haver 2 percursos, de 12km e 8km, com grau de dificuldade FÁCIL.
Os percursos vão estar sinalizados com sticks reflectores ou placas. Desde que se preste atenção nesses locais, será fácil seguir o percurso correcto. Mas é FUNDAMENTAL levar luz, já que esta sinalização só é visível de noite se tiver uma luz a incidir para poder ser reflectida.
Os percursos seguem ao longo da Falésia, em piso de terra batida, e regressam pela praia, em piso de areia.
Aquilo que se solicita é que se formem vários grupos, em função dos andamentos, mas que TODOS corram ou caminhem sempre acompanhados. ISTO É FUNDAMENTAL!
TODOS DEVEM LEVAR UM MEIO DE ILUMINAÇÃO (leia-se "obrigatório")
Praticamente todo o percurso se desenrola em zona não iluminada, por isso é FUNDAMENTAL que cada participante leve lanterna ou foco na cabeça.
CARROS E COLETES REFLECTORES:
Os percursos passam em zonas sem carros, pelo que o uso do colete refletor é dispensável;
Este é um evento aberto a todos os que queiram fazer exercício físico num local e hora onde normalmente não se atreveriam a ir sozinhos. Por isso, nada de receios em enfrentar esta distância;
Quem quiser é livre de trazer algo comestível ou bebível para partilhar e encerrar o evento em grande convívio;
Todas as sugestões são bem-vindas. Participem, divulguem e desfrutem destes eventos.
(Luís Santos)

CORRIDAS À 6ª FEIRA - XDREAM - 06-07-2018

O XDREAM organizou e quando organiza sai isto: Local de concentração paradisíaco (a Fonte Férrea), recepção "à maneira", percurso excelente (com subidas, muitas, mas nada de loucuras) e final apoteótico com música ao vivo debitada por 4 músicos que não nos brindaram com a habitual pimbalhada com que por vezes somos mimoseados. A meio do percurso uma mesa pejada de fruta e barras energéticas, no final outra mesa com limonada e bolos. E ali ao lado, no bar serviam-se bifanas e bebiam-se imperiais e outras bebidas. Que mais se pode desejar? Foi uma jornada perfeita. Venham mais destas.
Falta acrescentar que foram 220 as presenças. Muito bom.
As fotos estão AQUI.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

FARO, PEGADAS À 4ª FEIRA - 04-07-2018


O António chamou ao 200º evento "A corda se quiseres". Há palavras homófonas que soam de forma igual mas têm significados diferentes. "Acorda" o acto de sair do sono, ou "a corda", o artigo "a" que precede o substantivo "corda", entrançado de fios cujo destino é a tracção, prisão ou atadura. Os puristas do português já estão a afiar a dentuça porque aqui não há homofonia perfeita, já que um dos sons implica a existência de duas palavras, mas, para continuação deste arrazoado, serve muito bem. A intenção do António teria sido uma chamada de atenção para os objectos, que foram encontrados no percurso, destinados a praticar um semi-slide bem divertido? Ou terá sido, subliminarmente, uma chamada de atenção para a fuga ao estado cataléptico provocado pelo sono e a saída para a rua em direcção ao ar puro e ao exercício físico? Hum! penso que houve as duas intenções, acordem e lembrem-se que há um grupo que brinca com cordas. Hão-de concordar que é uma feliz e bem significativa analogia.
E os que estiveram nas Gambelas e que foram, permitam-me brincar com as palavras, não com a corda ao pescoço, nem na corda bamba, não roendo a corda, mas dando a corda aos sapatos e estando com a corda toda, bem a...cordados, até às cordas espalhadas pelas duas encostas, dando bom uso às suas cordas vocais, gargalhando satisfeitos por esta simples ideia, mais uma, que transforma o Pegadas em algo original. E que bem que eles subiam, agarrados à corda, corpos inclinados, narizes a rasgar o pó, costas curvadas, pernas bambas e escorregadias fincadas no chão. Foi um fartote para quem estava lá no alto a premir o botão da Nikon com um sorriso beatífico, divertido e gozão atrás do visor. E no final as opiniões eram unânimes. Foi espectacular. Uma opinião que me chegou aos ouvidos unifica todas as outras: "esta gente inventa cada uma, conseguem trazer-nos sempre algo diferente". É isso mesmo, o Pegadas inventa, intercala a normalidade com a surpresa, transforma o que seria um mero exercício físico em algo divertido. Há eventos calmos, há eventos surpreendentes, há desfiladeiros, há mouras encantadas, cobras, árabes, escadas, mas também há chouriças assadas, bifanas, vinho Planalto fresquíssimo no meio da mata, enfim um sem número de pequenas loucuras, coisas simples mas que fazem deste grupo um espectáculo cujos cenas ficarão gravadas na nossa memória. O nosso António Spielberg Santos já merecia um Oscar.
Falta acrescentar que estavam presentes 161 corredores/marchantes. Excelente.
As fotos dos trepadores estão AQUI.  

segunda-feira, 2 de julho de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - XDREAM - FONTE FÉRREA - SÃO BRÁS DE ALPORTEL - 06-07-2018

Evento: 257º
Data: 06.07.2018
Local: Fonte Férrea, São Brás de Alportel
Grau dificuldade: MÉDIO
Ponto de encontro: No parque de merendas da Fonte Férrea, EN2, sentido Lisboa, cerca de 3km a Norte de São Brás Alportel
Latitude: 37°11'5.40"N
Longitude: 7°54'51.20"W
Luz: é FUNDAMENTAL!!!!!!! (leia-se: obrigatório)
Colete refletor: é DISPENSÁVEL
Vai haver 1 percurso com grau de dificuldade MÉDIO em termos de acumulado de subida.
Os percursos vão estar sinalizados nos cruzamentos com fitas, placas, marcações no chão e coisas a brilhar. Desde que se preste atenção nesses locais, será fácil seguir o percurso correcto.
TODOS DEVEM LEVAR UM MEIO DE ILUMINAÇÃO (leia-se "obrigatório")
Praticamente todo o percurso se desenrola em zona não iluminada, por isso é FUNDAMENTAL que cada participante leve lanterna ou foco na cabeça.
CARROS E COLETES REFLECTORES:
O percurso passa em trilhos sem carros, pelo que o uso de colete refletor é dispensável.
Ninguém irá caminhar ou correr sozinho. É garantia que ficará sempre alguém a acompanhar aquele(s) que forem mais lento(s). Repetimos, ninguém irá correr sozinho;
Este é um evento aberto a todos os que queiram fazer exercício físico num local e hora onde normalmente não se atreveriam a ir sozinhos. Por isso, nada de receios em enfrentar esta distância. Repito, ninguém irá correr sozinho;
Quem quiser é livre de trazer algo comestível ou bebível para partilhar e encerrar o evento em grande convívio;
Todas as sugestões são bem-vindas. Participem, divulguem e desfrutem destes eventos.
(Luís Santos)

sábado, 30 de junho de 2018

CORRIDAS À 6ª FEIRA - MEXE-TE MÓ - 29-06-2018

Foi mais uma corrida à 6ª feira com apoio, no terreno, do grupo informal de marcha/corrida Mexe-te Mó e da Junta de Freguesia de Pechão. Excelente organização, como é habitual em todas as corridas realizadas em Olhão. No final distribuição de fruta e águas e animação final da Mariana Barnabé. 
Fotos AQUI.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

FARO, PEGADAS À 4ª FEIRA - AEROPORTO - 27-06-2018

Os Pegadas à volta e os aviões no meio. Uma guarda pretoriana heróica e combativa. A aviação e a infantaria. 
Um percurso interessante circulando o aeroporto com regresso pela estrada da ilha. Foi agradável, o vento ajudou a refrescar e a afastar a outra aviação, os mosquitos. 
Para a semana, diz o António, que já testou o rapel, vai ser radical. Digamos que será um radicalismo ao sabor da idade e da força braçal de cada um. Nada de loucuras, tudo pela segurança. No final a barraca das bifanas espera-nos.
As fotos de hoje estão no local habitual, AQUI.