quinta-feira, 30 de setembro de 2010

PRÓXIMA MARCHA - ALTE

Aldeia do concelho de Loulé é considerada a aldeia mais típica do Algarve e uma das mais típicas de Portugal. É, por isso, quase obrigatório que os marchantes dediquem um pouco do seu tempo a visitar alguns pontos que merecem o vosso atento olhar.
As Fontes Pequena e Grande, nascentes sempre activas de água fresca e límpida, foram, em tempos, locais de encontro das mulheres da aldeia que aí lavavam a roupa e enchiam os cântaros. Hoje são locais de visita obrigatória, quer para descansar, quer para utilizar as margens num bucólico piquenique.
Alte é  uma aldeia muito visitada por turistas. O artesanato tradicional da terra, como os doces tradicionais, os brinquedos de madeira, a olaria e os trabalhos de esparto, são quase de consumo obrigatório para os turistas que calcorreiam, maravilhados, as ruas estreitas da aldeia, ladeadas das suas casas brancas de chaminés rendilhadas, salpicadas de azul e amarelo.
Visite-se, também, a Queda do Vigário, local pouco conhecido de quem ali não reside, cascata deliciosa com acesso por rua atrás do cemitério. É um local que convida ao descanso e apropriado a uma belas fotografias.
Alte é também aldeia de boas gentes, simples, acolhedoras. A simpatia com que nos recebem obriga-nos a voltar sempre com prazer. É um dos meus locais preferidos do Algarve, muito por culpa dos marchantes que lá nasceram, a Leonor, o Carlos, a Lúcia, o Ludgero, a Manuela e o Luis, a Julieta, a quem presto a minha homenagem pela amizade e por me ajudarem a descobrir as belezas da sua terra.
Fica aqui um soneto do poeta Cândido Guerreiro, nascido em Alte, e que se encontra gravado em azulejo no jardim da Fonte Pequena:

Porque nasci ao pé de quatro montes,
por onde as águas passam a cantar
as canções dos moinhos e das fontes,
ensinaram-me as águas a falar…

Eu sei a vossa língua, água das fontes…
Podeis falar comigo, águas do mar…
E ouço, à tarde, os longínquos horizontes
chorar uma saudade singular…

E, porque entendo bem aquelas mágoas
e compreendo os íntimos segredos
da voz do mar ou do rochedo mudo,

sinto-me irmão da luz, do ar, das águas,
sinto-me irmão dos íngremes penedos
e sinto que sou Deus, pois Deus é tudo

(Nas fotos, a Queda do Vigário e a Fonte Grande)

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

A TIA AMPARO

Apesar de mórbida não resisto a publicá-la:


A Tia Amparo era uma mulher de 93 anos que estava particularmente afectada pela morte recente do seu marido.
Ela decidiu suicidar-se e juntar-se a ele no além.
Pensando que o melhor para ela seria acabar rápido com o assunto, foi buscar a velha pistola do exército que pertencera ao seu marido e tomou a decisão de disparar um tiro no coração, já que estava destroçada pela dor da sua perda.
Não querendo falhar o tiro num órgão vital e tornar-se num vegetal e num fardo para os seus familiares, telefonou ao seu médico de família para lhe perguntar onde ficava exactamente o seu coração.
O médico respondeu-lhe:
- "Dona Amparo, que pergunta?!... O seu coração está exactamente debaixo do seu seio esquerdo".
E foi assim que a querida tia Amparo... deu cabo do joelho!!!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

MARCHANTE DA SEMANA

O nosso amigo Vitor Paz, de Messines, já merecia esta nomeação para marchante da semana. É um "tipo porreiro", aparece em todas e anda sempre bem disposto.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

BLOGUE DO JOÃO VALENTIM

O nosso amigo João Valentim, marchante dos "quatro costados", que não falha uma, mesmo que o autocarro de Olhão fique na garagem, mantém um blogue que é de consulta obrigatória. Todas as semanas ele faz uma descrição exaustiva das marchas, com inúmeras fotografias e comentários sempre bem dispostos. Ora vejam AQUI,  e digam se não tenho razão.
São iniciativas destas que fazem das nossas marchas um fenómeno a nivel nacional. O João merece ser visitado. Façam como eu, vão até lá, sempre.

domingo, 26 de setembro de 2010

MARCHA DE PORCHES




Eramos poucos (aí uns 400), mas bons. Os outros "atletas" foram até Lisboa à corrida da ponte Vasco da Gama. As Câmaras Municipais resolveram fazer gazeta à nossa marcha e rumaram para outras paragens, com as honrosas excepções de Loulé (4 autocarros), S.Brás de Alportel, Silves e os anfitriões, Lagoa.
Mas foi uma boa jornada, com um belo percurso e uma organização razoável.

sábado, 25 de setembro de 2010

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

TRUQUES IV

PARA O PEIXE
Para que o peixe fique com boa cor exterior e branco por dentro, quando o puser a cozer junte leite à água da cozedura. A carne do peixe ficará muito branca e mais apetitosa.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

PRÓXIMA MARCHA - PORCHES

Área – 16,5 Km2
População - 1918 habitantes
Densidade Populacional - 116,24 hab/km2
Empoleirada sobre um outeiro, à beira da mais antiga via longitudinal do Algarve, a 125, poisa a pequena Vila de Porches.
A brancura do casario, as janelas emolduradas pelas barras pintadas de cores ocres, os telhados antigos, a originalidade das chaminés, é motivos que prendem demoradamente o olhar de quem visita esta típica vila do concelho de Lagoa.
No território, em que se inscreve actualmente a freguesia, existem vestígios de ocupação humana contínua que nos remonta ao Neolítico.
Segundo fontes históricas, a actual Vila de Porches teve a sua origem em meados do séc. XVI, tendo sido edificada pela população, vinda de uma antiga urbe denominada Porches Velho (lugar da freguesia mais próximo da costa).
Porches Velho teria sido ocupado por romanos e em 1253 já era considerado Vila, cabeça de um julgado e possuidora de um forte castelo Medieval.
A região de Porches foi célebre e importante. Terra conhecida pelo seu famoso vinho, terra do barro, das olarias e dos grandes mestres.
Habilidosas mãos continuam a dar forma ao barro, mantendo viva esta arte secular.
Com o incremento do turismo, a olaria de Porches tornou-se próspera. O barro artístico teima em assimilar harmoniosamente as técnicas e motivos transmitidos pelos velhos mestres, cuja arte o aprendiz dá continuidade, com uma nova e original inspiração.
Porches, tornou-se num importante centro turístico, figurando nas diversos roteiros turísticas da região.
Foi sobretudo a partir dos anos 80 que a localidade se expandiu e se desenvolveu de forma notória. Para tal, contribuíram as infra estruturas criadas, a correcta ocupação do solo e a envolvente natural, magníficas praias, natureza exuberante.
Porches alberga, actualmente os mais elevados padrões de alojamento, empreendimentos com renome, sobejamente conhecidos pela sua tradicional hospitalidade e qualidade de serviço. Este tipo de oferta tem atraído o tão querido e falado turismo de qualidade, o turismo que traz para a região mais valias, sem os inconvenientes da massificação.
Visitem a Igreja Matriz de Porches. Erguida no séc. XVI, ficou pràticamente arruinada, com o terramoto de 1755, conservando dos seus traços primitivos, a capela-mor, alvo de remodelações em 1882.
Fachada com portal ao gosto neoclássico, sobre a qual se abre um janelão, encimado pela coroa real. No interior, merece referência a Capela-mor, com a abóbada de nervuras revestida a magníficos azulejos do séc. XVII e o retábulo do altar mor em talha dourada onde figuram imagens do séc. XVIII.
(Retirado, com a devida vénia, do "site" da Câmara Municipal de Lagoa).

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

MARCHANTES DA SEMANA

São a Dora, o José, a Evelina e a Graciete (ou será a Conceição?). As minhas desculpas se houver troca de nomes. A caixa de comentários está aberta às correcções.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

SORRIR

Depois de uma marcha o casal regressa a casa e vai tomar banho. O marido entra no banho enquanto a sua mulher acaba de sair dele e se enxuga. A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender, a mulher desiste, enrola-se na toalha e desce as escadas. Quando abre a porta, vê o vizinho João na soleira. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, João diz:
- Dou-lhe 800 € se deixar cair essa toalha.
Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua.
João, então, entrega-lhe os 800 € prometidos e vai-se embora. Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher enrola-se novamente na toalha e volta para o quarto. Quando entra no quarto, o marido grita do chuveiro:
- Quem era?
- Era o João, o vizinho da casa ao lado - diz ela.
- Óptimo! Deu-te os 800 € que me estava a dever?

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

AINDA OLHÃO

Mais algumas imagens da marcha de Olhão. Estas de pouca qualidade, um pouco nebulosas, mas eu tinha prometido às meninas fotografadas, que as colocava no blogue. Como as mulheres é que mandam no mundo, não me restou outra solução senão obedecer.

domingo, 19 de setembro de 2010

MARCHA DE OLHÃO

E a primeira da época já foi. Lá matámos as saudades. Foi uma marcha misto de cidade e campo, bem organizada, como é habitual no nosso amigo Helder Oliveira. No final um folhadinho, uma esferográfica alusiva ao dia, o jornal "O Algarve" com a primeira página da época dedicada às marchas e o calendário das próximas marchas. Tivemos a presença do Director Regional do IDP, prof. Joaquim Paulino Duarte e as nossas sempre queridas Susana e Andreia que, como sabem, são os responsáveis pelo programa de marcha e corrida no Algarve. E que bem eles o fazem.
Quanto a nós aqui no nosso blogue, depois do interregno das férias em que nos entretivemos com "parvoíces", vamos tentar acompanhar todas as marchas, fotografar os protagonistas e dar as notícias possíveis. Apareçam por aqui, porque todos os dias temos algo para vós, mantendo naturalmente o enfoque naquilo que nos une: AS MARCHAS.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

RTP 2

Acabado de chegar de umas pouco merecidas férias, já que sou um grande preguiçoso e não gosto de trabalhar, e sou surpreendido com um email da nossa querida Susana do IDP de que destaco o seguinte:
"Domingo será transmitida na RTP2, pelas 15h00 uma reportagem sobre o Programa Nacional de Marcha e Corrida. Foi uma reportagem realizada no Evento Nacional que teve lugar a 6 de Junho, simultaneamente em 5 cidades: Matosinhos, Mealhada, Setúbal, Évora e Faro".
Estamos a ficar famosos. Vamos todos ver e gravar para "memória futura".

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

REGRESSO

De partida, agora, do local onde me encontro, muito longe, para chegar a tempo da primeira marcha. Dia 18, sabado, sera o dia do proximo post. Ate la boa viagem para nos. Temos saudades de voces. (desculpem a falta de acentuacao).

SER PORTUGUÊS

SER PORTUGUÊS É:

Levar arroz de frango para a praia.
Guardar as cuecas velhas para polir o carro.
Lavar o carro na rua, ao domingo.
Ter pelo menos duas camisas falsificadas da Lacoste e uma da Tommy Hillfiger (de cor amarelo-canário e azul-cueca).
Passar o domingo no centro comercial.
Tirar a cera dos ouvidos com a chave do carro ou com a tampa da esferográfica.
Ter bigode.
Receber visitas e ir logo mostrar a casa toda.
Enfeitar as estantes da sala com os presentes do casamento.
Exigir que lhe chamem “Doutor”.
Exigir que o tratem por “Sr. Engenheiro”.
Axaxinar o Portuguex ao eskrever.
Gastar 50 mil euros no Mercedes C220 cdi, mas não comprar o kit mãos-livres, porque é caro.
Já ter “ido à bruxa”.
Filhos baptizados e de catecismo na mão, mas nunca pôr os pés na igreja.
Não ser racista, mas abrir uma excepção com os ciganos.
Ir de carro para todo o lado, aconteça o que acontecer, e pelo menos, a 500 metros de casa.
Conduzir sempre pela faixa da esquerda da auto-estrada (a da direita é para os camiões).
Cometer 3 infracções ao código da estrada, por quilómetro percorrido!
Ter três telemóveis.
Gastar uma fortuna no telemóvel mas pensar duas vezes antes de ir ao dentista.
Ir à bola, comprar o bilhete “prá-geral” e saltar “prá-central”.
Viver em casa dos pais até aos 30 anos ou mais.
Ser mal atendido num serviço, ficar lixado da vida, mas não reclamar por escrito “porque não se quer aborrecer”.
Falar mal do Governo eleito e esquecer-se que votou nele.
Viva Portugal, carago...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

TRUQUES III

DEMOLHAR BACALHAU
Para tirar o sal ao bacalhau, coloque-o num passador e mergulhe-o num recipiente cheio de água tépida. Se for um lombo com pele, vire-o com a pele para cima. O sal irá depositar-se no fundo do recipiente. Para uma boa demolha, renove a água três vezes, de quatro em quatro horas.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

MARCHA INAUGURAL - OLHÃO

É na cidade de Olhão da Restauração, que decorre a marcha do próximo Domingo. Terra com uma história riquíssima que carecia de muitas palavras para a descrever. Fiquemos por uma sugestão: tentem encontrar ancorado, entre os Mercados Municipais, a réplica do caíque "Bom Sucesso", que promove visitas e passeios guiados na Ria Formosa. Foi o original  "Bom Sucesso" que no dia 6 de Julho de 1808, orientado pelas estrelas, numa viagem quase impossível, vai até ao Brasil anunciar ao Rei, aí refugiado, a boa nova da expulsão dos franceses que nos tinham invadido. O Rei como prémio deste acto heróico, eleva Olhão a Vila com o epíteto de Vila da Restauração.
Não resisto a colocar aqui a Acta dessa promulgação:
Alvará de 15 de Novembro de 1808
Eu O Príncipe Regente. Faço saber aos que o presente Alvará com força de Lei virem que merecendo a Minha Real Consideração, e Estima os Meus fiéis Vassalos habitadores do Logar de Olhão no Reino do Algarve pelo patriotismo, amor e lealdade, com que no dia 16 de Junho do corrente ano se deliberaram com heróico valor, e intrepidez muito própria da valerosa e sempre leal Nação Portuguesa a sacudir o pesado, e intolerável jugo Francês, com que se viam oprimidos, e vexados, dando o sinal da Restauração da sua liberdade, tiranizada com factos injustos, e violências insofríveis, rompendo com vivas à Minha Augusta Pessoa, e a toda a Real Família, arvorando a Bandeira Portuguesa, e propondo-se sustentar com as armas na mão, e à custa do seu sangue a Causa da Religião, e do Trono, com tanta perfídia invadido: E Querendo Eu Dar um testemunho de quão bem aceitos por Mim foram estes relevantes Serviços, praticados com tanto brio, honra e valor, que foram o primeiro sinal para se restaurar a Monarquia de que se tinha apoderado o inimigo comum da tranquilidade da Europa, com manifesta usurpação, e ultrage dos Meus Reais Direitos, e da Augusta e Real Família; e ao mesmo tempo Distinguir entre os presentes, e vindouros o referido Logar de Olhão, e seus Habitantes, Hei por bem, e Me Praz Erigilo em Vila; e Ordenar, que da publicação deste em diante se denomine Vila do Olhão da Restauração; e que tenha, e goze de todos os Privilégios, Liberdades, Franquezas, Honras e Izenções, de que gozam as Vilas mais Notáveis do Reino; e Permito outro-sim, que os Habitantes dela usem de uma Medalha, na qual esteja gravada a letra - O - com a legenda - Viva a Restauração e o Príncipe Regente Nosso Senhor - . Pelo que; Mando à Mesa do Desembargado do Paço, e da Consciência e Ordens; Presidente do Meu Real Erario; Regedor da Casa da Suplicação; e a todos os Tribunais, e Ministros, a que o seu conhecimento pertencer, o cumpram, e façam cumprir, como nele se contem, não obstante quaisquer Leis, Alvarás, Regimentos, Decretos, ou Ordens em contrário, porque todas Hei por derrogadas para este efeito somente, como se delas fizesse expressa e individual menção, ficando aliás sempre em seu vigor: e este valerá como Carta passada pela Chancelaria, ainda que por ela não há-de passar, e que o seu efeito haja de durar mais de um ano, sem embargo da Ordenação em contrário: Registando-se em todos os logares onde se costume registar semelhantes Alvarás. Dado no Palácio do Rio de Janeiro em quinze de Novembro de mil oitocentos e oito. - PRINCIPE - D. Fernando José de Portugal.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

PENSAMENTO DO DIA

O povo diz que "quem tem boca vai a Roma", mas o fogão lá da minha casa tem seis bocas e nunca saiu da cozinha.

sábado, 11 de setembro de 2010

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

PENSAMENTOS PROFUNDOS

As nuvens são como os chefes. Quando desaparecem o dia fica liiiiindo.
Alguns homens gostam tanto da sua mulher que, para não as gastarem, preferem usar as dos outros.
O homem é igual a uma caixa frigorífica. É só encher de cerveja que se pode levar para qualquer lado.
Não bebas enquanto conduzes, porque..........podes entornar a cerveja.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

ADIVINHA

É um instrumento útil cujo tamanho fica entre 15 a 20cm de comprimento.
O seu funcionamento é apreciado por membros de ambos os sexos.
Encontra-se normalmente pendurado ou apoiado pronto para acção instantânea.
É caracterizado por um tufo de pelos numa ponta e por um pequeno buraco na outra, embora hoje em dia o buraco tenda a desaparecer.
Quando em uso, é inserido, quase sempre de boa vontade, algumas vezes, devagar, outras rapidamente, dentro de um orifício quente e húmido onde é empurrado em movimentos sucessivos para dentro e para fora várias vezes, algumas das vezes mais rapidamente e por vezes acompanhado por movimentos do resto do corpo.
Alguém que esteja a ouvir, reconhecerá certamente o som rítmico e pulsante, resultado dos movimentos bem lubrificados.
Quando finalmente removido, normalmente deixa para trás uma substância esbranquiçada, fresca e pegajosa, que normalmente pode ser removida das superfícies exteriores do orifício e também do próprio instrumento.
Depois de tudo acabado e do fluir dos líquidos ter parado, o instrumento é devolvido à sua posição, livre de descanso.
Já pensou?
Já sabe que instrumento é esse?
Como já deve ter adivinhado, estamos a falr da escova de dentes, claro.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

SERÁ ASSIM?

BOFETADAS


Os portugueses sempre tiveram o terrível hábito de reclamar dos seus governantes. Criticamos os autarcas, os ministros e o Presidente da Republica. Reclamamos dos governos anteriores como reclamamos do governo actual. Quando houver eleições iremos reclamar dos novos governantes sejam eles quem forem.
Porque será?
O problema talvez não esteja em quem governa. Talvez esteja em quem reclama. O problema somos nós – os portugueses.
O que se pode esperar de um povo que se socorre de “jeitinhos” para conseguir favores? Um povo que valoriza o Chico-esperto e não o sábio e o justo? Um povo que aplaude e endeusa o vencedor do Big Brother, mas não sabe o nome de um escritor português? Que respeito merece um povo que elege autarcas com processos em tribunal por corrupção e uso de bens públicos em proveito próprio? Um povo que admira o pobre que ficou rico da noite para o dia? Um povo que ri quando consegue sacar a TVCabo do vizinho? Um povo que não sabe o que é a pontualidade? Um povo que atira lixo para a rua e depois reclama da sujidade? Um povo que leva o cão a passear e deixa os dejectos à porta do vizinho? Um povo que não valoriza a leitura? Um povo que finge estar a dormir quando um idoso ou um deficiente entra no autocarro? Um povo endividado e que continua a gastar mais do que pode?
O nosso problema não são os políticos. São os portugueses..
Os políticos não se elegem. Nós é que votámos neles. Os políticos não fazem exames, ganham votos. O seu e o meu.
(Recebido por email)
Será assim? Eu sou daqueles que acredita nos portugueses. Mas que temos muitos defeitos, lá isso temos.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

TRUQUES II

PARA NÃO GRELAR
Há três truques para evitar que as cebolas, os alhos e as batatas grelem demasiado depressa. Em relação às cebolas, chamusque-as com um fósforo ao nível da raiz. Quanto aos alhos, armazene-os sobre uma camada de cerca de um centímetro de sal grosso, com as raízes viradas para baixo. Em relação às batatas, salpique-as com carvão vegetal moído.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

COMBATE AOS MOSQUITOS

ARMADILHA ECOLÓGICA PARA MOSQUITOS


Como matar mosquitos de modo ecologicamente correcto.
Para ajudar a luta contra os mosquitos, uma ideia é trazê-los para uma armadilha que pode matar muitos deles.
Precisamos do seguinte:
200 ml de água.
50 gramas de açúcar mascavado.
1 grama de levedura (fermento biológico de pão, que se encontra em qualquer supermercado)
Uma garrafa plástica de água das grandes.
A seguir estão os passos a desenvolver:
1. Corte uma garrafa de plástico no meio. Guardar a parte do gargalo:
2. Misture o açúcar mascavado com água quente. Deixar esfriar. Depois de frio, despejar na metade de baixo da garrafa.
3. Acrescentar a levedura . Não há necessidade de misturar. Ela criará dióxido de carbono.
4. Colocar a parte do funil, virada para baixo, dentro da outra metade da garrafa sem que a boca da garrafa toque no líquido.
5. Enrolar a garrafa com algo preto, menos a parte de cima, e colocar num canto de sua casa.
Os mosquitos entram pelo gargalo, atraídos pelo odor do líquido, e já não conseguem sair.
Em duas semanas a quantidade de mosquitos que morreu lá dentro da garrafa é enorme.
Podemos utilizar esse método muito útil não só em casa, como também em escolas, creches, hospitais, etc

Imagem da armadilha 2 semanas depois.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

CALENDÁRIO DAS MARCHAS 2010/11

Conforme prometido pode ver AQUI  



COISAS QUE NOS FAZEM PENSAR

CÃES E MULHERES


Porque será, que cada vez mais os homens têm cães em vez de mulheres?

Ora expliquemos:

1-Quando mais tarde chegarmos a casa, mais excitado o cão está por nos ver.
2-Os cães não se chateiam se os chamarmos por outro nome.
3-Os cães gostam que deixemos coisas espalhadas pelo chão.
4-Os pais dos cães nunca nos visitam.
5-Os cães ouvem-nos e respeitam-nos quando lhes levantamos o tom de voz.
6-Nunca esperamos por um cão. Ele está preparado 24 horas por dia.
7-Os cães acham piada quando estamos com os copos.
8-Os cães gostam de ir à caça e à pesca.
9-Os cães não nos acordam a meio da noite para perguntar: “Se eu morrer vais arranjar outro cão?”.
10-Um cão deixa-nos pôr uma coleira sem nos chamar de tarado.
11-Se um cão encontra em nós um cheiro de outro cão, não se chateia. Até acha interessante.
12-Se um cão nos abandona não leva metade das nossas coisas com ele.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

PARA MEDITARMOS

TERAPIA DO ELOGIO
Arthur Nogueira (Psicólogo)

Terapeutas que trabalham com famílias, divulgaram numa recente pesquisa que os membros das famílias estão cada vez mais frios, mais distantes, o carinho é cada vez menos, não se valorizam as qualidades, facilmente se ouvem críticas.
As pessoas estão cada vez mais intolerantes e desgastam-se na valorização dos defeitos dos outros.
Por isso, as relações de hoje não duram.
A ausência de elogio está cada vez mais presente nas famílias. Não vemos mais os homens a elogiar as suas mulheres ou vice-versa, não vemos os chefes a elogiar o trabalho de seus subordinados, não vemos mais pais e filhos a elogiar-se, etc.
Só vemos futilidades: valorizam-se artistas, cantores, jogadores, pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro e que, por consequência, são pessoas que tem a obrigação de cuidar do corpo, do rosto, das aparências.
A ausência de elogio afecta muito as pessoas e as famílias.
Há falta de diálogo nos lares. O orgulho e a agitação da vida impedem que as pessoas digam o que sentem.
Depois despejam-se essas carências nos consultórios.
Acabam-se casamentos, alguns procurando noutra pessoa o que não conseguem dentro de casa. Vamos começar a valorizar as nossas famílias, os nossos amigos, alunos ou subordinados.
Vamos elogiar o bom profissional, a boa atitude, a ética, a beleza do parceiro ou parceira, o comportamento de nossos filhos.
O bom profissional gosta de ser reconhecido, o bom filho fica feliz por ser louvado, o pai e a boa mãe sentem-se bem ao serem amados e amparados. O amigo quer sentir-se querido.
Vivemos numa sociedade em que cada um precisa do outro; é impossível uma pessoa viver sozinha e sentir-se feliz. Os elogios são forte motivação na vida de cada um.
Quantas pessoas posso fazer hoje feliz elogiando-as de alguma forma?
Comecemos agora:
Vocês são pessoas maravilhosas!
Desejo-vos um excelente e feliz dia!
Com amizade

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

AHAHAHAH

Uma senhora de meia idade teve um ataque de coração e foi parar ao hospital. Na mesa de operações, quase às portas da morte, vê Deus e pergunta:
- Já está na minha altura?
 Deus responde:
- Ainda não. Tens mais 43 anos, 2 meses e 8 dias de vida.
Depois de recuperar, a senhora decide ficar no Hospital e fazer uma lipoaspiração, algumas cirurgias plásticas, um facelift,... como tinha ainda alguns anos de vida, achou que poderia ficar ainda bonita e gozar o resto dos seus dias.
Quando saiu do Hospital, ao atravessar a rua, foi atropelada por uma ambulância e morreu.
A senhora, furiosa, ao encontrar-se com Deus, pergunta-lhe:
- Então eu não tinha mais 40 anos de vida? Porque que é que não me desviastes do caminho da ambulância?
Deus responde:
- O quê, eras tu?....... Nem te conheci !!!!....