sábado, 31 de maio de 2014

ESTÁ A DAR AS ÚLTIMAS

O que falta:
Dia 1 de Junho – 9H30 – Loulé
Dia 8 de Junho - 9H30 – Monchique
Dia 9 de Junho – 21H30 – Tavira (Marcha nocturna)

Dia 14 de Junho – 21H30 – Olhão (Marcha nocturna) 

PENSAMENTO DO DIA



Antes de partires para a guerra, reza uma vez; antes de embarcares para o mar, reza duas vezes; antes de casares, reza três vezes. 

sexta-feira, 30 de maio de 2014

ANTECIPAÇÃO À MARCHA FINAL EM MONCHIQUE

A Visitar em Monchique
Visitar a serra de Monchique, é visitar uma zona serrana com uma grande diversidade vegetal e clima suave, carinhosamente apelidado de "Jardim do Algarve". Património natural que induz à contemplação. Ribeiros cristalinos que desenham meandros no fundo de vales escarpados. Dotada de elevada qualidade ambiental, a frescura da serra apresenta-se como um contraponto ao caloroso litoral algarvio e Baixo Alentejo.

No centro da vila pode desfrutar de uma magnífica vista a partir do miradouro do parque são Sebastião, visitar a igreja Matriz de Monchique datada do início do século XVI, o Convento de Nossa Senhora do Desterro e aproveitar para percorrer as estreitas ruas da vila, contemplando o vasto casario branco com as típicas chaminés de saia e parar para visitar as nossas casas de artesanato. Vale ainda a pena subir a Serra até á Picota ou até ao ponto mais alto do Algarve, a Fóia, de onde se avista uma grande extensão de paisagem desde o Cabo de são Vicente até à Serra da Arrábida. Merecedor de visita é ainda o Moinho do Poucochinho, no Barranco dos Pisões, onde pode se pode fazer um agradável picnic nas suas mesas de pedra e à sombra de uma das muitas árvores classificadas existentes na serra de Monchique - um Plátano. 
Não deixe de passar pelas Caldas de Monchique onde existe uma pequena praça envolta em grandes árvores e fontes, espaço propício a piqueniques e conheça  ainda as Termas e as suas nascentes de água mineromedicinal, usadas desde tempos antigos para tratamentos. 
Passear pelas localidades de Alferce, Marmelete e Vila de Monchique, desfrutar do património arquitectónico, histórico e cultural a par das muitas belezas naturais e provar a gastronomia tradicional, o mel, os doces, o medronho, é a nossa sugestão.
PARA AQUECER  OS MOTORES PARA A MARCHA FINAL, AINDA TEREMOS, NO DOMINGO, DIA 1, A MARCHA DE LOULÉ, QUE COSTUMA SER UMA DAS MAIORES MARCHAS DO CALENDÁRIO E UMA DAS MAIS BEM ORGANIZADAS. 

quinta-feira, 29 de maio de 2014

ANTECIPAÇÃO À MARCHA FINAL - O LINGUAJAR MONCHIQUEIRO


Os filmes "E tudo o vento levou" e "Titanic", na versão Monchiqueira: "Tá aí uma bezaranha que leva tudo à frente" e "Tianica", realizado pelos alunos da turma B do Curso EFA da Escola E. B. 2, 3 de Monchique em 09-05-2011.
Uma homenagem, bem humorada, a essa boa gente de Monchique. No dia 8 teremos oportunidade de apreciar as belezas daquela região, a simpatia das suas gentes, ou a pronúncia, muito sui-generis, do seu falar.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

PERGUNTAS E RESPOSTAS

1- Em que batalha morreu o Almirante Nelson?

- Na sua última.
2- Onde foi assinada a Declaração de Independência?
- No fim da folha.
3- Estado em que corre o Rio Mondego?
- No estado líquido.
4- Qual é a principal causa do divórcio?
- O casamento.
5- O que é que não se pode comer ao pequeno-almoço?
- O almoço e o jantar.
6- Com que se parece a metade de uma maçã?
- Com a outra metade.
7- Se lançarmos uma pedra pintada de azul  ao mar Vermelho, no que é que se transforma?
- Numa pedra molhada.
8- Como é que um homem consegue estar oito dias sem dormir?
- Facilmente. Dorme de noite.
9- Se foi preciso a 8 homens, 10 horas para construir um muro, quanto tempo demorarão 4 homens a fazê-lo?
- Nenhum. O muro já tinha sido construído pelos outros.
10- Como é que se consegue deixar cair um ovo em cima de um chão de cimento sem o partir?
- De qualquer maneira. O chão de cimento dificilmente se parte.

terça-feira, 27 de maio de 2014

PRÓXIMA MARCHA - LOULÉ - 01-06-2014 - 09H30

Concentração – Parque Municipal de Loulé
Organização – Câmara Municipal de Loulé
É a penúltima marcha do actual calendário (exceptuando as nocturnas dos dias 9 em Tavira e dia 14 em Olhão).
Loulé, o maior concelho do Algarve, é também conhecido pelo número de desportistas que tem produzido nas mais diversas modalidades. É também terra de ilustres portugueses de que salientamos: Eng. Duarte Pacheco, ministro das Obras Públicas no antigo regime, mas com valiosa obra em todo o país; José Mendes Cabeçadas, Presidente da Republica em 1926; Laura Ayres, médica e investigadora na área da virologia; Lídia Jorge, escritora; António Aleixo, poeta; Maria Campina, pianista e, porque não, Nuno Guerreiro, vocalista da Ala dos Namorados.
-Sabiam que, hoje, já se pode afirmar que há vestígios da presença do homem no concelho de Loulé, do Paleolítico Antigo (ou Idade da Pedra Lascada, 2,5 milhões de anos AC)?
-Sabiam que os Fenícios e os Cartagineses também andaram por estas bandas tendo fundado feitorias e desenvolvido o comércio, as pescas e a prospecção de metais?
-Sabiam que há na cidade de Loulé, vestígios da ocupação romana?
-Sabiam que foi com a ocupação muçulmana (Sec. VIII) que se inicia a delimitação da actual cidade de Loulé (Al-Ulya)?
-Sabiam que a torre albarrã em taipa, na Rua da Corredoura, é o que resta do antigo castelo Almóada?
-Sabiam que foi o rei D. Afonso III e D. Paio Peres Correia que conquistaram o castelo de Loulé em 1249?
-Sabiam que o Mercado Municipal, esse ex-libris da cidade, construído nos anos 1904 a 1907, foi um projecto do Arq. Mota Gomes e que em 1918 se planeou a Av. José da Costa Mealha (avenida do carnaval)?
-Sabiam que o monumento a Duarte Pacheco (na foto) à entrada do Parque Municipal, onde nos concentraremos, é da autoria do Arq. Cristino da Silva e foi inaugurado em 1953?
-E por último, uma curiosidade: sabiam que o actual Presidente da Câmara de Loulé, Victor Aleixo, é neto do poeta António Aleixo?
Enfim, esta cidade tem uma valiosa história digna de ser aprofundada, o que recomendamos vivamente.

domingo, 25 de maio de 2014

RAPIDINHA

Mulher para o marido - Estamos casados há mais de 20 anos e nem uma jóia me compraste.
Marido - Sabia lá que vendias jóias …

sábado, 24 de maio de 2014

CORRIDAS À 6ª FEIRA - ALBUFEIRA

Foi a nossa segunda incursão nestes eventos, que se estão a tornar num fenómeno de popularidade enorme. Enquanto o nosso programa de marchas dominicais abrange (com excepções, claro) uma média de idades mais avançada, as corridas à 6ª feira têm uma média etária mais jovem.  Hoje creio que foi batido o record de presenças. Aguardo, com expectativa, os números oficiais. O Luis Santos deve estar, simultâneamente, orgulhoso e surpreendido com a crescente adesão ao sonho que tão bem concretizou e organiza. O Luis parece ter o dom da ubiquidade. No início deambula entre todos e para todos tem uma palavra e um sorriso. Durante a marcha surge onde menos se espera, dando indicações, parando para ajudar quem está em dificuldades, enfim um verdadeiro líder.
A organização desta prova foi impecável. O local de concentração, o Pavilhão Desportivo, foi bem escolhido, o enorme número de voluntários presentes nos cruzamentos não permitiu qualquer engano, e o percurso foi excelente, com passagem pelos locais mais emblemáticos da "Vila Branca em Mar Azul".
Foi uma jornada excelente de promoção da corrida e marcha.
Vejam as fotos (124) AQUI.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

ORAÇÃO DAS MULHERES RESOLVIDAS


Que o mar vire cerveja e os homens aperitivo, que a fonte nunca seque e que a nossa sogra nunca se chame Esperança, porque Esperança é a última que morre...
Que os nossos homens nunca morram viúvos, e que os nossos filhos tenham pais ricos e mães gostosas!
Que Deus abençoe os homens bonitos, e os feios se tiver tempo...
Deus...
Eu vos peço sabedoria para entender um homem, amor para perdoá-lo e paciência pelos seus actos, porque Deus, se eu pedir força, eu bato-lhe até matá-lo.
Um brinde...
Aos que temos, aos que tivemos e aos que teremos.
Um brinde também aos namorados que nos conquistaram, aos trouxas que nos perderam, e aos sortudos que ainda vão conhecer-nos!
Que sempre sobre, que nunca nos falte, e que a gente dê conta de todos!
Amén.
P.S.: Os homens são como um bom vinho: todos começam como uvas e é dever da mulher pisá-los e mantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia para o jantar.

(Júlio Machado Vaz)

quinta-feira, 22 de maio de 2014

MONCHIQUE, A HISTÓRIA - ANTECIPAÇÃO À MARCHA FINAL EM 8 DE JUNHO



O concelho de Monchique entra na história com a presença dos romanos nas Caldas de Monchique, atraídos pelo poder curativo das suas águas. Nos séculos seguintes a serra foi-se povoando lentamente e no séc. XVI Monchique era já uma povoação suficientemente importante para merecer a visita do rei D. Sebastião (1554-1578) e este ter pretendido conceder-lhe o estatuto de vila.
A tecelagem de lã e do linho, as actividades relacionadas com a madeira de castanho, contribuíram para a prosperidade e desenvolvimento de Monchique, de tal forma que, em 1773, foi promovida a vila.

As alterações económicas provenientes da industrialização significaram a perda da actividade têxtil e de outras manufacturas. Hoje Monchique é uma vila airosa, com um artesanato activo, uma economia diversificada e virada para o turismo e para a produção artesanal de produtos que são testemunhos da riqueza cultural da serra. (site da CMM).
E É NESTA LOCALIDADE QUE FAREMOS A NOSSA MARCHA FINAL, EM 8 DE JUNHO, DIA QUE SE PRETENDE DE GRANDE CONVÍVIO E ANIMAÇÃO. NINGUÉM ESTÁ DISPENSADO DESTA APOTEOSE FINAL, SOB PENA DE ENORME CASTIGO A DEFINIR EM ASSEMBLEIA GERAL DE MARCHANTES. OS CASTIGOS SUGERIDOS SÃO: CARREGAR DURANTE A PRÓXIMA ÉPOCA O FAMOSO CORNO DO HOMEM DE OLHÃO, CANTAR O "Ó TEMPO VOLTA PARA TRÁS" NA MARCHA INAUGURAL DO PRÓXIMO SETEMBRO, FAZER A MAMAMARATONA CORRENDO ATRÁS DOS "SUPER ATLETAS" JORGE E PAULA, E, POR ÚLTIMO, AGARRAR COM UNHAS E DENTES A FEITURA DESTE BLOG PARA ALIVIAR A CARGA CÁ DO VELHOTE. AHAHAHAH!
ENTRETANTO, AINDA TEMOS A MARCHA DE LOULÉ, NO DIA 1, QUE TAMBÉM SE PREVÊ SER UMA BELA MARCHA. 

quarta-feira, 21 de maio de 2014

CANCELAMENTO DA MARCHA DO DIA 25 EM TAVIRA

Para os mais distraídos, repetimos o aviso:
Devido à realização de eleições para o Parlamento Europeu, no próximo domingo, dia 25 de Maio, a marcha agendada para esse dia, foi cancelada. Pretende-se, com esta decisão, a não interferência com a normalidade do acto eleitoral e proporcionar aos nossos marchantes mais tempo para cumprirem com o seu dever cívico. Votem, mas não deixem de marchar, nem que seja até aos locais de voto. Eu não lhes perdoo, vou ali para os lados da praia de Faro, para o Ludo, cumprir com o meu dever cívico de marchante e só depois cumprirei com o outro.

terça-feira, 20 de maio de 2014

CORRIDAS À SEXTA FEIRA

Como no domingo não há marcha, resolvemos, além das caminhadas que fazemos na nossa terrinha, durante a semana, ir até Albufeira, na sexta-feira, dia 23, de Nikon às costas, e participar nas já famosas "Corridas à 6ª feira”. Fica aqui o convite a quem sente a necessidade de caminhar em grupo, como eu.
Informações necessárias:
Local de concentração – Pavilhão Desportivo (perto do estádio de futebol)
Hora de partida – 20H30 
Haverá dois percursos, um de 8 km (caminhada ou corrida) outro de 10 km (corrida).
Aconselha-se a levar camisola com algo que reflita a luz (pode ser o colete do carro). Se possível  levem um “pirilampo” para a cabeça ou uma lanterna a pilhas de mão, porque podemos passar em zonas de fraca iluminação.
Trata-se do 42º evento e, desta vez, o “Corridas à 6ª feira” junta-se à comemoração do 27º aniversário do CDASJ (Clube Desportivo Areias de São João).

A inscrição é grátis.

SALPICOS DE FERRAGUDO


segunda-feira, 19 de maio de 2014

domingo, 18 de maio de 2014

MARCHA DE FERRAGUDO






Num domingo cintilante, mais um, na turística e bela Ferragudo, numa organização impecável do ACD de Ferragudo, essa extraordinária Associação incansável na promoção da cultura e do desporto naquela localidade. Foi mais uma marcha em que o humor e a música (na voz do Carlos) estiveram presentes, numa simbiose perfeita entre o exercício físico e a imaginação dos organizadores (parabéns Nuno, o responsável principal). Até uma rábula entre os organizadores e uma autarca do concelho vizinho, que entendia dever ter sido avisada (ridículos estes autarcas que logo que eleitos se julgam deuses no Olimpo, mas quando em campanha são tão simpáticos e tão educados na relação com o povo), antecipadamente, do corte de uma rua, necessário à passagem dos marchantes. A importante personagem dirigia-se, segundo parece, à sua residência e obrigaram-na, seus malvados, a dar uma volta maior. Cena digna de figurar nos cartazes colocados na partida.
Hoje estiveram presentes autocarros de Faro, Loulé, Albufeira (2), Olhão, S. Brás de Alportel, Aljezur, Monchique, da Casa do Povo de Porches e de Messines e Universidade do Algarve.
Restantes fotos AQUI. 

sábado, 17 de maio de 2014

PENSAMENTO DO DIA

Aquele que nasce pobre e feio, tem muitas possibilidades de, quando crescer, se tornar em ambas as coisas.

sexta-feira, 16 de maio de 2014

MOMENTO DE POESIA

Outro momento de poesia, desta vez de Fernando Pessoa, também declamado por João Villaret. Pode ser ouvido AQUI.

O MOSTRENGO
O mostrengo que está no fim do mar
Na noite de breu ergueu-se a voar;
À roda da nau voou três vezes,
Voou três vezes a chiar,
E disse: «Quem é que ousou entrar
Nas minhas cavernas que não desvendo,
Meus tectos negros do fim do mundo?»
E o homem do leme disse, tremendo:
«El-Rei D. João Segundo!»


«De quem são as velas onde me roço?
De quem as quilhas que vejo e ouço?»
Disse o mostrengo, e rodou três vezes,
Três vezes rodou imundo e grosso,
«Quem vem poder o que só eu posso,
Que moro onde nunca ninguém me visse
E escorro os medos do mar sem fundo?»
E o homem do leme tremeu, e disse:
«El-Rei D. João Segundo!»


Três vezes do leme as mãos ergueu,
Três vezes ao leme as reprendeu,
E disse no fim de tremer três vezes:
«Aqui ao leme sou mais do que eu:
Sou um Povo que quer o mar que é teu;
E mais que o mostrengo, que me a alma teme
E roda nas trevas do fim do mundo,
Manda a vontade, que me ata ao leme,
De El-Rei D. João Segundo!»


(Fernando Pessoa - 09/09/1918)

quinta-feira, 15 de maio de 2014

EDUCAÇÃO SEXUAL



Anita, de sete anos, regressa a casa vinda da escola. 
Tinha tido a primeira aula de educação sexual.
 A mãe, muito interessada pergunta:
- Como é que correu?
- Quase morri de vergonha! - respondeu a pequena Anita.
- Porquê? - perguntou a mãe.
  Anita respondeu: 
- O Zezinho, o menino com o cabelo ruivo, disse que foi a cegonha que o trouxe, o Marco, da livraria, disse que veio de Paris, a Cristina, a vizinha do lado, disse que foi comprada num orfanato, e o Tó disse que foi comprado no hospital, o Paulinho disse que nasceu de uma proveta e o André disse que nasceu de uma barriga de aluguer.  
A mãe de Anita respondeu quase sorrindo: 
- Mas isso não é motivo para te sentires envergonhada...
- Não, já sei, mas não me atrevi a dizer-lhes que, como nós somos pobres, tiveste que ser tu e o pai a fazer-me...

terça-feira, 13 de maio de 2014

PRÓXIMAS MARCHAS - FERRAGUDO E ALCOUTIM - 18-05-2014 - 09H30


Não gosto disto. Duas no mesmo dia? Venha o diabo e escolha. O concelho de Alcoutim, este ano, foi contemplado com este tipo de coincidências duas vezes, em Vaqueiros e Quelfes e agora Ferragudo e Alcoutim. Da primeira vez escolhi Vaqueiros, desta vez vou até Ferragudo. É justo.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

MARCHANTES DA SEMANA


A Edite, a Norberta, a Rita e a Esperança e vieram de Loulé, que finalmente, recomeçou no apoio aos seus munícipes, disponibilizando autocarro. Está de parabéns o Presidente Vitor Aleixo.

domingo, 11 de maio de 2014

MARCHA DE OLHÃO




A"Vila de Olhão da Restauração", foi hoje o palco, e que palco, de uma belíssima marcha, excelentemente organizada pela sua Junta de Freguesia, com toda a experiência organizativa do insubstituível Helder Oliveira. Foi o percurso habitual que já tínhamos antecipado quando da apresentação desta marcha aqui, mais abaixo, neste vosso blog. Um sol esplendoroso e uma temperatura ainda suportável para este tipo de actividade ajudou ao sucesso desta marcha.
E já faltam poucas para a apoteose final em Monchique no dia 8 de Junho. Aproveitamos para avisar, mais uma vez, que a marcha de Tavira, prevista para o dia 25, foi cancelada devido às eleições para o Parlamento Europeu.
Hoje estiveram presentes autocarros de Faro e Loulé. 
Restantes fotos AQUI.

sábado, 10 de maio de 2014

PENSAMENTO DO DIA

Amigo é igual a um parafuso. A gente só sabe se é bom na hora do aperto.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

MOMENTO DE POESIA

E porque não? A marcha também é poesia. Aqui deixamos um poema do poeta brasileiro Ribeiro Couto, falecido em 1963, e tornado conhecido por João Villaret (também já falecido) numa das suas declamações mais conseguidas e que pode ser apreciada AQUI.

MENINA GORDA
Esta menina gorda, gorda, gorda,
Tem um pequenino coração sentimental.
Seu rosto é redondo, redondo, redondo;
Toda ela é redonda, redonda, redonda,
E os olhinhos estão lá no fundo a brilhar.

É menina e moça. Terá quinze anos?
Umas velhas amigas de sua mamãe
Dizem sempre que a encontram, num êxtase longo:
“Como esta menina está gorda, bonita!”
“Como esta menina está gorda, bonita!”
E ela ri de prazer. Seu rosto redondo
Esconde os olhinhos no fundo, a brilhar.

Às vezes no quarto,
Diante do espelho;
Ao ver-se tão gorda, tão gorda, tão gorda,
Ela pensa nas velhas amigas de sua mamãe
E também num rapaz
Que a olha sorrindo,
Quando toda manhã ela vai para a escola:
“-Ele gosta de mim… Ele gosta de mim.
Eu sou gorda, bonita…”
E os dedos gordinhos pegando nas tranças
Têm carícias ingénuas
Diante do espelho.



(Rui Ribeiro Couto)

quinta-feira, 8 de maio de 2014

A LOIRA NO BAR


Manuel entrou num bar por volta das 20 horas. Escolheu um lugar junto de uma loira esplendorosa. A sua atenção foi atraída para o aparelho de TV no momento em que começavam as notícias do dia.A reportagem cobria a notícia de um homem que estava prestes a atirar-se do alto de um enorme edifício.A loira voltou-se para o Manuel e disse:
-Você acha que ele vai saltar?
Manuel respondeu:
-Eu aposto que vai saltar.
A loira respondeu:
-Bem, eu aposto que não vai.
Manuel pôs uma nota de 20 euros na mesa e exclamou:
-Vamos apostar?
-Sim.
Logo que a loira colocou o seu dinheiro na mesa, o homem atirou-se e morreu no momento em que se esborrachou no solo.
A loira ficou muito aborrecida, mas aceitou a derrota:
-Aposta é aposta. É justo. Fique com meus 20 euros.
Manuel respondeu:
-Não posso aceitar o seu dinheiro. Eu já tinha visto o incidente no noticiário das 18 horas. Eu sabia que ele iria saltar.
A loira respondeu: -Eu também vi, mas nunca pensei que ele saltasse outra vez.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

PRÓXIMA MARCHA - OLHÃO - 11-05-2014 - 09H30

Organização da Junta de Freguesia de Olhão. Concentração no Jardim do Pescador. Deve ser o habitual percurso, ao longo do Jardim, passando pelo cais de embarque, doca pesca, arredores da cidade, regresso pelo túnel, passagem pela Av. da Republica e rua do comércio. A habitual forma de receber do Helder Oliveira, a satisfação que sempre extraímos da "Vila de Olhão da Restauração, madrinha do povo, madrasta é que não" (veja AQUI). No final da marcha não cairá, certamente, mal aos estomagos, um geladinho (que o tempo convida) da Gelvi, sentados na esplanada, mergulhando o olhar na Ria Formosa, mirando ao fundo a Armona e a Culatra. Sabiam que a Gelvi foi fundada em 1951 e é a gelataria mais antiga do Algarve? Que é uma empresa familiar, cuja gerência tem passado de pais para filhos? Que são considerados dos melhores gelados do país e que vem gente de todo o lado para os saborear? Ora experimentem os sabores D. Rodrigo e merengada. Que belo é o nosso Algarve. 
Ao alto imagens da marcha do ano passado.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

MARCHANTES DA SEMANA

As duas primas a Julieta Martins e a Anne Cabrita. A primeira portuguesa e já habitual nas marchas e a segunda francesa que se estreou hoje e que prometeu repetir a experiência. Pode ser que leve, para França, a ideia e a implante por lá.

domingo, 4 de maio de 2014

MARCHA DE SILVES





Integrada no "Silves Tour", esta marcha foi excelente a todos os títulos. Uma organização perfeita, um percurso ligeiramente diferente do habitual (o que até é bom), a passagem pelo castelo, essa jóia da arquitectura islâmica, pela Sé, pela ponte romana, a presença de parte da vereação camarária (incluindo a presidente, Dra. Rosa Paula), que marcharam connosco e que prometeram interromper os anos de ausência dos seus autocarros nas outras marchas do calendário (este ano já os vi em Vila Real e Paderne). Enfim, foi uma jornada de exercício físico e saudável confraternização com um epílogo humanitário, a entrega à Associação UNIR (Associação de Doentes Mentais, Famílias e Amigos do Algarve, com sede em Loulé) de um cheque de € 1.725, importância conseguida com a venda de camisolas aos marchantes.
Presentes autocarros de S. Brás de Alportel, Loulé, Olhão, Faro e Monchique.
Restantes fotos AQUI.

sábado, 3 de maio de 2014

sexta-feira, 2 de maio de 2014

QUANDO UMA MÁ NOTÍCIA NOS ALEGRA

O Juvenal estava desempregado há meses. Com a resistência que só os portugueses têm, o Juvenal foi tentar mais um emprego em mais uma entrevista. Ao chegar ao escritório, o entrevistador perguntou-lhe:
-Qual foi o seu último salário?
-Salário mínimo, respondeu Juvenal.
-Pois se o senhor for contratado ganhará 10 mil euros por mês.
-Jura?
-Que carro o senhor tem?
-Na verdade, agora eu só tenho um carrinho para vender pipocas na rua e um carrinho de mão.
-Pois se o senhor trabalhar connosco ganhará um Audi para você e uma BMW para sua esposa. Tudo custo zero.
-Jura?
-O senhor viaja muito para o exterior?
-O mais longe que fui foi ao Alentejo, visitar uns parentes.
-Pois se o senhor trabalhar aqui viajará pelo menos 10 vezes por ano, para Londres, Paris, Roma, Mónaco, Nova Iorque, etc.
-Jura?
-E lhe digo mais... O emprego é quase seu. Só não confirmo agora porque tenho que falar com o meu gerente. Mas é praticamente garantido. Se até amanhã (sexta-feira) à meia-noite o senhor NÃO receber um telegrama nosso cancelando, pode vir trabalhar na segunda-feira.
Juvenal saiu do escritório radiante. Agora era só esperar até à meia-noite de sexta-feira e rezar para que não aparecesse nenhum maldito telegrama. Sexta-feira mais feliz não poderia haver. E Juvenal reuniu a família e contou as boas novas. Convocou o bairro todo para uma churrascada comemorativa com muita música. Sexta de tarde já tinha um barril de cerveja aberto. As 9 horas da noite a festa fervia. A banda tocava, o povo dançava, a bebida rolava solta nas gargantas. Dez horas, e a mulher de Juvenal aflita, achava tudo um exagero. A vizinha gostosa, interesseira, já se encostava para perto do Juvenal. E a banda tocava. E a cerveja gelada rolava. O povo dançava. Onze horas, Juvenal já era o rei do bairro. Estava a gastar milhares para o bairro encher a pança. Tudo por conta do primeiro salário. E a mulher resignada, meio aflita, meio alegre, meio aparvalhada, meio assustada. Onze horas e cinquenta e cinco minutos, acelerando na esquina, buzinando como um louco uma rapaz numa motorizada vermelha, chegava. Era do Correio. A festa parou. A banda silenciou-se. A multidão engasgou. Um bêbado arrotou. Um cachorro uivou. Meu Deus, e agora? Quem pagaria a conta da festa?
-Coitado do Juvenal, era a frase mais ouvida. Lançaram água nas brasas do churrasco. A cerveja aqueceu. A mulher do Juvenal desmaiou. A motorizada parou.
-Senhor Juvenal Batista Romano?
-Si, si, sim, so, so, sou eu...
A multidão não resistiu: OOOOOHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!
-Telegrama para o senhor.
Juvenal não acreditava... Pegou no telegrama, com os olhos cheios d'água, ergueu a cabeça e olhou para todos. Silêncio total. Respirou fundo e abriu o telegrama. Uma lágrima rolou, molhando o telegrama. Olhou de novo para o povo e a consternação era geral. Tirou o telegrama do envelope, abriu e começou a ler. O povo em silêncio aguardava a notícia e perguntava.
-E agora? Quem vai pagar esta festa toda?
Juvenal recomeçou a ler, levantou os olhos e olhou mais uma vez para o povo que o encarava... Então, Juvenal abriu um largo sorriso, deu um berro triunfal e começou a gritar eufórico:
-A mãe morreeeeuuu! A mãe morreeeeuuu!

quinta-feira, 1 de maio de 2014

DIA DO TRABALHADOR

Em 20 de Junho de 1889, em Paris, um senhor de nome Raymond Lavigne, membro da Internacional Socialista, decide propor que se convocassem, anualmente, no dia 1 de Maio, manifestações cujo objectivo seria a redução do horário de trabalho para 8 horas. A escolha desta data não era inocente, porque foi nesse dia e seguintes que nos Estados Unidos da América, greves gerais com os mesmos objectivos, deram origem a dezenas de mortos entre manifestantes e polícias.  Em 1 de Maio de 1891, numa manifestação no norte de França morrem 10 manifestantes em confronto com as forças policiais. Destas escaramuças periódicas resulta, finalmente, em 23 de Abril de 1919, que o senado francês autorize a jornada de 8 horas de trabalho diário e decrete o dia 1 de Maio como feriado nacional. Nos EUA esse dia nunca foi considerado como dia do trabalhador, mas em 1890 o congresso, finalmente, autoriza a jornada de 8 horas diárias de trabalho. No entanto, há nos EUA o denominado “Labor Day”, mas, só para chatear, não a 1 de Maio mas sim na primeira segunda feira de Setembro. Americanices!
Em Portugal só em 1 de Maio de 1974, 6 dias depois da queda da ditadura, é que se celebrou o primeiro dia do trabalhador. 
Neste dia, que hoje se celebra, é justo lembrar todos aqueles que sacrificaram as suas vidas lutando pela redução de horários de trabalho desumanos e pela dignificação do ser humano. “O mundo pula e avança” sempre graças a alguns que se prejudicam em benefício de milhões.